quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Prefeitos de Barra Mansa

Atualizado em 01/04/2016, confira as atualizações no final do artigo.

Conheça também as Primeiras-Damas de Barra Mansa

     Nesta página, o leitor irá conhecer a trajetória de cada um dos prefeitos que Barra Mansa já teve.

     O primeiro prefeito de Barra Mansa foi o Engenheiro João Luiz Ferreira, nomeado em 1914, antes disso, 
o poder executivo era exercido pelo Presidente da Câmara dos Vereadores - desde à instalação do Município em 10 ou 16 de Fevereiro de 1833.

     A história continua... Quais serão os próximos prefeitos de Barra Mansa?


RODRIGO DRABLE
2017 -Presente
Jornal "Diário do Vale" de 2 de Janeiro de 2017. Foto - Paulo Dimas.
     Rodrigo Drable Costa nasceu em 24 de fevereiro de 1981 em Volta Redonda, antigo 8º distrito barramansense, possivelmente apenas para nascer em uma maternidade de lá. Sua família é uma das mais antigas e tradicionais de Barra Mansa.
Rodrigo Drable, em 02/10/2016 - 
na sua seção eleitoral, no Asilo das Órfãs,
votou acompanhado da filha Alice.
     Estudou no Colégio Verbo Divino, e foi ao Rio de Janeiro, cursar Direito na Universidade Cândido Mendes, onde foi colega de turma do atual deputado federal Leonardo Picciani, logo após a formatura, voltou a Barra Mansa. Pouco tempo depois houve o falecimento do seu avô materno - Marcello Drable em outubro de 2003, nessa época, Rodrigo já tinha intenção de entrar para política. 
     Chegou a se inscrever na OAB - RJ, como advogado.
     
Antes de se tornar prefeito:
     Vereador de 2005 a 2008 (46ª Legislatura), abriu os Centros Sociais Marcello Drable, de atendimento a população, em alguns bairros do município.
Rodrigo, sua filha Alice, esposa Regina,
sua avó Dona Dione Drable, no Comitê
da campanha em 2016.
     Ficou de fora na legislatura seguinte, nesse tempo casou-se com Dona Regina Borges da Almeida Motta, jovem arquiteta, de Volta Redonda, e tiveram a menina Alice.
     Morador do bairro Estamparia, bairro onde sua família, os Chiesse, residem há décadas, abriu sua empresa - a RD Veículos, e começou o negócio de venda de carros seminovos e usados, no térreo de sua casa.
     Eleito novamente vereador, em 2012, na 48ª Legislatura, fez oposição ao Prefeito Jonas Marins.
     Em 2016 elege-se prefeito de Barra Mansa.

O jovem Vereador Rodrigo Drable, em
seu primeiro mandato na 46ª Legis-
latura. Foto - Barra Mansa Online.
Eleições:
     Em 2004 foi candidato pela 1ª vez, a vereador, pelo PSC, aos 23 anos, foi eleito com 1.276 votos, elegeram-se também as suas primas Ruthinha e Sonia Coutinho;
     Em 2006 foi candidato a deputado estadual pelo PSC, teve 5.592 votos, e ficou na suplência;
     Em 2008 foi candidato a reeleição a vereador, PSC, com o jingle - "Rodrigo Drable 20 mil e quinhentos, Rodrigo Drable 20 mil e quinhentos, a força jovem trás de volta a tradição, é diferente valoriza o cidadão! O social é sua prioridade, Rodrigo Drable vai transformar toda a cidade! Seriedade, honestidade, Rodrigo Drable!" , foi o 4º mais votado com 2.907 votos, porém não se elegeu, pois seu partido não atingiu o quociente eleitoral;
Fotos exibidas nas urnas eletrônicas em
2004, 2006, 2008, 2012, 2014 e 2016.

     Em 2010 não concorreu;

     Em 2012 foi candidato pela 3ª vez a vereador, dessa vez pelo PMDB, e apoiando a reeleição de seu primo Prefeito José Renato. Rodrigo foi o vereador mais votado com 2.923 votos. Usou o jingle - "Rodrigo Drable Quinze Trezentos, juntos somos mais...";

    Em 2014 foi candidato pela 2ª vez a deputado estadual, pelo PMDB, conquistou 19.434 votos, e ficou com 97º mais candidato a estadual mais votado do RJ, e nono suplente do partido, que elegeu 14 deputados. Desses votos, 15.021 foram do Município de Barra Mansa, e ele foi o mais votado do município.


27/08/2016 - Marcell Castro, candidato a
vereador, discursa, na presenta de
Rodrigo Drable e Prof Fátima no
bairro Nove de Abril.
     Em 2016, candidato pela 6ª vez, a 1ª a prefeito, pelo PMDB, teve como vice a Professora Fátima Lima, e foi eleito o 42º prefeito de Barra Mansa, conquistou 39.169 votos (43,46%), venceu aos concorrentes - Cláudio Manes do PSDB - 25.908 votos (28,74%), Bruno Marini do PP - 8.966 votos (9,95%), J.Chagas do PSL - 6.549 votos (7,27%), Professora Clarice do PT - 5.435 votos (6,03%), e Ueslei Brito do PC do B, e candidato do prefeito Jonas Marins - 4.104 votos (4,55%). 
Seu único jingle foi - "Barra Mansa essa é a hora da mudança, de votar com segurança, de fazer a união! 
Reconstruir com trabalho essa cidade, investir com qualidade na saúde educação! 
Rodrigo Drable e Professora Fátima
Lima, Prefeito e Vice-Prefeita de BM.
E Rodrigo Drable, eu voto 15, o meu voto é com você, e e e Rodrigo Drable eu voto 15 voto certo com você! 
Quero um prefeito, presente e competente, que ouça a minha gente, que lute pra valer!
Eu boto fé com um sonho de esperança, uma nova Barra Mansa, bem melhor pra se viver!
E Rodrigo Drable, eu voto 15, o meu voto é com você, e e e Rodrigo Drable eu voto 15 voto certo com você! 
Eu voto 15, eu quero desenvolvimento, quero emprego, investimento, no esporte e no lazer, Rodrigo Drable e Professora Fátima, paixão e amor dobrado, voto 15 pra vencer!
E Rodrigo Drable, eu voto 15, o meu voto é com você, e e e Rodrigo Drable eu voto 15 voto certo com você..."

Governo:
Dona Regina, Pref. Drable e Vereador
Marcell Castro em 9/10/2016 na Assembleia
de Deus da Av. Domingos Mariano.
Começou o governo com a seguinte equipe de primeiro escalão - Secretariado - Saúde - Dr. Sérgio Gomes, Educação - Flávia Sampaio, Fazenda - Everton Resende, Administração - Jefferson Mamede, Governo - Beto, Planejamento - Jorge Melhem, Ordem Pública - Luiz Furlani, Desenvolvimento Econômico - Agnaldo Raimundo, Desenvolvimento Rural - Adilson Delgado Rezende, Assistência Social - Ruth Cristina Coutinho Henriques de Lima Rebello, Meio Ambiente - Cláudio Cruz, Fundação de Cultura - Marcelo Branco Cruz (Bravo), Esporte - Rose Villela, Susesp - Fernando Balduíno, Procuradoria Geral - Dr. Cesar Catapreta, Controladoria Geral - Dr. Vantoil de Souza Júnior.

Das primeiras ações que tomou - Limpeza da cidade, e equilíbrio das finanças e organização do governo.

Casamento - Rodrigo Drable e
Dona Regina Borges da Almeida Motta
Família:
     Casado com Dona Regina Borges da Almeida Motta, pai da menina Alice;
     Filho da professora aposentada Gláucia Drable Costa, e do engenheiro aposentado Sérgio Costa. 

Ascendentes que ocuparam cargos políticos:
Os seus dois avôs foram prefeitos, materno - Marcello Fonseca Drable - governou Barra Mansa por duas veses (1967-1971) e (1977-1983), eleito pela população, também foi deputado estadual de 1974 a 1976.
     O avô paterno - Coronel Aluízio Campos Costa, 9º prefeito de Volta Redonda (antigo 8º distrito de Barra Mansa), foi nomeado para essa função, que exerceu de 1979 a 1982.
As seis gerações de Rodrigo Drable
pela Família Chiesse em Barra Mansa.
     Humberto Quinto Chiesse (pai de sua avó materna - Dona Dione), bisavô de Rodrigo, foi um dos chefes político da Barra Mansa do século XX, delegado nomeado de polícia.
     Major Antônio Ribeiro da Fonseca - trisavô de Rodrigo, pai de Dona Jahyra Fonseca Drable - mãe de Marcello Drable. O Major foi vereador em Barra Mansa por seis mandatos - nas legislaturas: 13ª (1877-1881), 17ª (1892-1895), 18ª (1895-1898), 19ª (1898-1901), 20ª (1901-1904) e 21ª (1904-1907).

Parentes colaterais que ocuparam cargos políticos:
Família Chiesse:
     João Chiesse Filho - Tio-bisavô de Rodrigo, irmão de Humberto Quinto Chiesse, foi prefeito duas vezes (1951-1955) e (1959-1963) de Barra Mansa, sendo o último a administrar Volta Redonda, emancipada em 1954.
     Moacyr Arthur Chiesse - Primo-Tio-Avô (primo em 3º grau de Rodrigo), filho de Arthur Chiesse - irmão de Humberto Quinto Chiesse, foi prefeito de Barra Mansa de 1963 a 1967, e deputado federal de 1970 a 1974.
Aluízio Campos Costa
Prefeito de VR (1979 a 1982)
     Dirceu Chiesse Coutinho - Primo-Tio-Avô (primo em 3º grau de Rodrigo), filho de Dona Elvida Chiesse Coutinho - irmã de Humberto Quinto Chiesse, foi prefeito interino de Barra Mansa em 1952, vereador de BM na polêmica 33ª Legislatura (1951-1955), e presidente da Câmara em 1952. Votou contra a emancipação de Volta Redonda.
     Elmiro Chiesse Coutinho - Primo-Tio-Avô (primo em 3º grau de Rodrigo), filho de Dona Elvida Chiesse Coutinho - irmã de Humberto Quinto Chiesse, prefeito interino de Barra Mansa em 1982, vereador em BM por duas vezes nas legislaturas: 38ª: (1971 - 1973) e de 40ª (1977 - 1983). Em 1971 e em 1982 foi presidente da Câmara Municipal. Deputado estadual pelo PMDB na 4ª legislatura após a unificação dos Estados do Rio e Guanabara de 1987 a 1991; foi o relator geral da Constituição Estadual de 1989.
     Nestor Chiesse CoutinhoPrimo-Tio-Avô (primo em 3º grau de Rodrigo), filho de Dona Elvida Chiesse Coutinho - irmã de Humberto Quinto Chiesse. Foi vereador de BM, na 36ª Legislatura (1963-1967), presidente da Câmara de 1965 a 1966.
Irmãos Chiesse - José Luiz Chiesse,
Antônio Chiesse, Ex-Pref. João Chiesse Filho,
Maria, Luzia Chiesse, Augusta, Humberto
Quinto Chiesse e Dona Elvida Chiesse.
     Ruth Coutinho Henriques de LimaPrima-Tia-Avó (primo em 3º grau de Rodrigo), filha de Dona Elvida Chiesse Coutinho - irmã de Humberto Quinto Chiesse. Foi a primeira vereadora da história de Barra Mansa, exerceu a vereança nas legislaturas: 41ª (1983-1989) e 42ª (1989-1992), essa última, a que ocorreu a Assembleia Constituinte Municipal.
     Sônia Maria Camargo Coutinho Parreira - Prima em 4º grau de Rodrigo, neta de Dona Elvida Chiesse Coutinho - irmã de Humberto Quinto Chiesse. Foi vereadora de BM por quatro mandatos (1997 a 2012), nas legislaturas - 44ª, 45ª, 46ª e 47ª.

29/11/1926 - Famílias Bruno e Chiesse,
reunidas para o casamento de seus filhos
Humberto Quinto Chiesse e D. Glória
Bruno - pais de Dona Dione e
bisavós de Rodrigo Drable.
     Ruth Cristina Coutinho Henriques de Lima Rebello - Prima em 4º grau de Rodrigo, neta de Dona Elvida Chiesse Coutinho - irmã de Humberto Quinto Chiesse. Foi a primeira vice-prefeita da história de Barra Mansa - (de 2009 a 2012), foi vereadora de BM na 46ª Legislatura (2005 - 2008).

Família Bruno:
     José Renato Bruno Carvalho - Primo em 5º grau de Rodrigo, neto de Mizael Pereira Bruno - irmão de Antonio Pereira Bruno (trisavô de Rodrigo, Antônio é pai de Dona Glória Bruno Chiesse - mãe de Dona Dione Ignez Chiesse Drable). Foi prefeito de Barra Mansa de 2009 a 2012.

     Rodrigo Drable ainda é primo em 4º grau de Pedro Chiesse Rosa Duque Fonseca - neto do ex-prefeito Roosevelt Brasil, e trineto de Humberto Quinto Chiesse.

(Este artigo sobre o Rodrigo Drable está em construção).

JONAS MARINS
2013 - 2016
01/01/2013 - Posse no Palácio Barão de Guapy
2014 - Jan - Temporal atinge Barra Mansa
Foto: Marcus Modesto.
     Jonastonian Marins Aguiar nasceu em 12/10/1970 em Ponta Grossa no Mato Grosso do Sul.
     Formado em Direito, foi presidente da Associação dos Servidores de Barra Mansa. 
     Morador no bairro Siderlândia.
     Especula-se que durante sua gestão, comprou um lote, ou mesmo casa no nobre bairro de chácaras - Recanto das Paineiras no Distrito de Amparo.

Eleições:
     Filiado ao PC do B, em 2008 concorreu à prefeito, ficou em 4º lugar com 10.400 votos (10%). 
     Em 2010 à deputado federal, teve 22.418 votos e não se elegeu.
Foto Oficial, que não foi divulgada
nem na internet, qual seria o motivo?

     Em 2012, ao disputar as eleições para prefeito, pela segunda vez, em uma polêmica campanha, com a promessa de "Mudar pra ser feliz" - foi eleito com 45.080 votos (45,1%), a frente de Zé Renato - PMDB que tentou a reeleição (34.360 votos - 34,38%), e Inês Pandeló - PT (20.513 votos - 20,52 %).

Governo:
     Tomou posse em 1º de Janeiro de 2013. Inaugurou diversas obras conquistadas por Zé Renato, e abriu outras tantas sem recursos para concluir, que ficaram vários meses paradas.


     Seu vice é o pastor da Igreja Universal, ex-vereador - Jorge Oliveira Costa do PRB. Durante a gestão de Jonas Marins, eles romperam politicamente.
     Slogan: "Compromisso com responsabilidade".  

Abertura da Comissão Processante da Câmara
para cassar o mandato do Prefeito Jonas em Julho
de 2016. À frente da platéia, entre os espectadores
Marcell Castro estende a mão para pegar um papel
da mão de Dona Eterna Quintão - líder
comunitária do bairro Getúlio Vargas.

     No início da gestão fechou por várias vezes as principais ruas do Centro da cidade, para fazer eventos.     
     Criou muita polêmica, com a retirada do carnaval do Parque da Cidade, e o retorno para as avenidas Domingos Mariano e Joaquim Leite, feito em 2013, 2014 e 2015, desistiu de fazer em 2016, pela grave crise em que causou a prefeitura.
     Fechou definitivamente a Rua Custódio Ferreira Leite (entre o Palácio Barão de Guapy e o Parque Centenário), ao qual foi alcunhado de "Corredor Cultural" - Causou com isto mais deterioração ao palácio, e prejudicou o sossego dos moradores de suas cercanias, e dos animais do parque, causando mais e mais criticas; e, como se isso não bastasse, criou uma academia ao ar livre na Praça Vereador Ruy Andrade - ao lado direito do dito palácio, com paredes de vidro, e um portão. A ideia da academia é boa, porém o lugar escolhido foi péssimo, ao lado do nosso imponente palácio, o que não tem nada haver com essa academia,
Seu governo agradou a poucos, como
o logotipo do seu governo que retrata
apenas um, invés dos dez arcos da
Ponte Ataulpho Pinto dos Reis.
     Durante sua gestão foram asfaltadas as ruas dos bairros: Morada da Granja I e II, Jardim Ponte Alta, Av. Cristiano Meirelles no Jd. Vista Alegre, Av. Antonio Graciano da Rocha na Vila Maria, e Bocaininha.
     A Defesa Civil do Município, ganhou autonomia, e foi praticamente criada em sua gestão.
     Houve a canalização do Córrego Ponte Alta no bairro Vila Elmira (obra do Governo do Estado); foi construída e inaugurada a primeira Clínica Veterinária Municipal - que funciona precariamente; foi adquirido e inaugurado um clube para servir de Grêmio Recreativo aos Servidores Públicos Municipais de Barra Mansa, no bairro Colônia Santo Antônio, em frente ao Jardim São Lucas. O Paço Municipal foi pintado novamente para azul claro e branco, e foi colocado o letreiro - CAMPLA - Centro Administrativo Municipal Prefeito Luiz Amaral - com a presença d'este em uma bela homenagem no pátio do paço.
Entrevista após ser eleito prefeito
em 2012. Em uma polêmica
campanha, de improvadas criticas
ao então Pref. Zé Renato.
     Houve a reforma da Ponte Mauá (Saudade x Vila Coringa); alguns escadões de altos morros foram revitalizados.
     O viaduto que liga a Bocaininha a Saudade, foi aberto a circulação de veículos, após o asfaltamento das ruas de acesso, no bairro Bocaininha, e recebeu o nome do seu avô - Antonio de Aguiar Martins - antigo morador do bairro Saudade. Essa obra foi feita no governo de seu antecessor - José Renato.

     Boa parte das calçadas das avenidas Joaquim Leite e Domingos Mariano tiveram o piso trocado, e começou-se a trocar das calçadas da Av. Presidente Kennedy no bairro Ano Bom - para um próprio com a marca de seu governo, outra polêmica, pois os pisos das bordas - antes do meio-fio - há o desenho da ponte dos arcos em tom e fundo vermelhos - a cor do comunismo.

     A beira linha da Vila Nova também foi revitalizada, com o espantoso preço de R$ 900 e pouco mil reais. 
Av. Joaquim Leite - Calçadas
padronizadas - crítica ao uso do
vermelho a cor do comunismo,
partido de Jonas Marins.
     Foram construídas pequenas novas pontes: uma no bairro São Sebastião - próximo ao bairro Nove de Abril, e duas outras sobre o córrego Laranjeiras no bairro Belo Horizonte.
     Foi realizada a polêmica licitação do transporte coletivo em Barra Mansa, da qual as mesmas empresas - Colitur e Auto Comercial foram vencedoras, excluindo a São João Baptista.

     O governo do Estado, realizou no bairro Vila Barbará a construção e inauguração da Faetec - escola técnica, e Faeterj - pequena faculdade.

     As unidades de saúde do município, passaram a ser geridas por uma O.S.- Organização Social, do Estado do Maranhão. O que gerou processos e mais polêmicas.
Pintura de Jonas, na biblioteca
do Palácio Barão de Guapy.
Também um retrato da
desproporção de seu
governo - Essa visão não
existe. Não existe nesse
ângulo a Ponte dos Arcos e o
Palácio Barão de Guapy.

     Em maio de 2016, promoveu um Concurso Público para à prefeitura, porém, outro desastre - foi anulado pelo Tribunal de Justiça do Estado do RJ.

     O Parque da Cidade foi muito deteriorado em seu governo, o Ginásio Monumental - Jair Rosa Pinto, ficou com a estrutura enferrujada, fiação exposta, e mato nos alicerces de seus arcos. Destruiu o final da Pista do Desfile do Carnaval, para criar uma obra, na qual nem chegou a levantar as paredes. Dezenas de carros públicos ficaram abandonados e quebrados no interior do parque. Os prejuízos até o momento ao erário, não foram calculados.

     Seu governo foi considerado por muitos como o pior da história do município, com diversos indicadores negativos, fora essas poucas obras citadas, e algumas outras, ele inaugurou coisas do governo anterior, e o que fez de próprio, grande parte não funciona bem. A prefeitura ficou endividada, o funcionalismo reclamou muito. Jonas Marins se tornou um prefeito distante do povo, e dos políticos, sendo que há uns três anos não comparece a solenidades da Câmara Municipal. Chegando ao ápice de nem mandar representantes nos festejos do 184º aniversário de criação do município em Outubro de 2016 no Palácio Barão de Guapy.

Retorno ao Paço Municipal em
18/07/2016 - Após seu afastamento pela justiça,
cercado por jornalistas e cargos comissionados.
     Creio que boa parte do insucesso de seu governo deveu-se principalmente a má gestão, seu jeito espalhafatoso de agir, mas também pela sua filiação partidária - comunista -, que isolou o município politicamente; pelo período de crise no governo federal - contemporâneo a queda da Presidente Dilma Rousseff; e, a crise no governo estadual.
     Outro símbolo de sua gestão, foi a iluminação bem mais clara em frente ao prédio em que mora com sua família no bairro Siderlândia, em contraste com o resto da avenida, incluso as casas vizinhas, com a iluminação mais fraca.
     A relação mais específica das obras, bem como das diversas coisas positivas e negativas que fez, será escrita, após pesquisa mais detalhada.

Novos loteamentos criados pela iniciativa privada:
     Tiveram início a construção dos loteamentos, futuros bairros de Barra Mansa: Parque dos Ipês (entre os bairros Vila Ursulino e Colônia Santo Antônio); Village Norte (no bairro Aiuruoca); Residencial Santa Júlia (no bairro Colônia Santo Antônio); Residencial Mohema (no bairro Jardim Marilú); Residencial Jardins (no bairro São Judas Tadeu); e um outro loteamento -----saber o nome ------ (ao sul do bairro Minerlândia, e oeste do Morada da Granja II).

Afastamento:
Retorno ao Paço Municipal em
18/07/2016 - ovacionado por cargos
comissionados, a maioria demitidos
pelo Pref. Jorge Costa em seu governo
interino, possivelmente queriam
seus cargos de volta.
     Em 1º de Junho de 2016, pelas 10h da manhã, devido a uma decisão do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, foi afastado provisoriamente e por tempo indeterminado do cargo, junto ao Secretário Municipal de Saúde - Luiz Antônio de Almeida e de Jonathan Aguiar - Secretário Municipal de Administração, devido a uma ação civil pública, que alegou: improbidade administrativa, devido a um suposto esquema de desvio de verbas da Farmácia Municipal, especula-se que foram tirados dos cofres públicos R$ 2,3 milhões de reais.

Retorno:
     Aos 18 dias de Julho de 2016, por volta das 18h, retornou ao Paço Municipal Prefeito Luiz Amaral, sendo ovacionado por seu secretariado, e cargos comissionados, na companhia dos vereadores Ueslei da Farmácia e Chris Vieira. A sua volta foi devido a conquista de uma liminar no Supremo Tribunal Federal, entre a quinta 14 e a sexta 15 de Julho.
Jonas Marins e Ueslei Brito - aliança
mal sucedida, ficaram em última lugar
no pleito de 2016;

Sucessão:
     Com péssimos índices de popularidade, não conseguiu nem mesmo ser candidato a reeleição, seu partido - PC do B -, lançou o vereador Ueslei Brito - que no início da sua carreira política era alcunhado de Ueslei da Farmácia, coligado com os partidos - PRB, PR, Rede e PMB.
     O resultado foi péssimo - Ficou em último lugar com parcos 4.104 votos (4,54%), menos votos do que Ademir Melo teve para vereador em 2004 (4.107 votos). Atrás até mesmo da candidata do PT. Dos candidatos a vereador de sua coligação, apenas dois foram eleitos - Dr. Jaime Alves e Zé Abel - os dois do PRB, nenhum do PC do B, e nenhum dos vereadores que o apoiavam conseguiu se reeleger.
Maria José e Jonas Marins.

Família:
     Filho de Athaíde de Souza Aguiar e de Vera Regina Marins Aguiar. A família de seu pai reside há décadas no bairro Saudade, Sr. Athaíde foi funcionário da prefeitura, filho de Antonio de Aguiar Martins - que foi homenageado com nome no viaduto que liga os bairros Bocaininha e Saudade. Antonio de Aguiar Matins tem ligação, ou já morou no Distrito valenciano - fronteiro a Barra Mansa -, de Santa Izabel do Rio Preto.
     Sua mãe também nasceu em Ponta Grossa - MS, e na atualidade faz parte ativamente do Grêmio Barramansense de Letras.
     Sua mulher é Maria José Cézar - nascida em Volta Redonda -, eles são pais de Ana Beatriz - estudante de Direito.

Fonte: http://avozdacidade.com/site/noticias/politica/52772/

PASTOR JORGE COSTA
2016 - Interino
Com a esposa, Dona Odete, em Dezembro de 2012.
Vereador à 46ª Legislatura.
     Jorge de Oliveira Costa, nasceu em 29/08/1963 em Mendes-RJ.
     É Pastor da Igreja Universal do Reino de Deus.
     É casado com Dona Odete Rangel Costa.
     Primeiro Pastor a ser Prefeito de Barra Mansa. É ligado ao Senador Marcelo Crivella, bispo da denominação do prefeito.


Eleições:
     Em 2004, pelo PL, foi eleito vereador com 2052 votos, para a 46ª Legislatura de Barra Mansa.
     Em 2008, filiado ao PRB disputou a reeleição, teve 1070 votos e perdeu. Para prefeito, apoiou a candidatura de Inês Pandeló.
Candidato a
Deputado Federal em 2014.

     Em 2012, foi eleito vice-prefeito de Barra Mansa, pelo PRB, na chapa de Jonas Marins do PC do B, com 45.080 votos. A sua escolha para vice, deveu-se ao fato, de que em pesquisas dos comunistas de Barra Mansa, a candidatura de Jonas Marins era mal avaliada entre os evangélicos. Sua esposa Dona Odete, também disputou a eleição ao cargo de vereadora, apenas para ajudar o seu partido (PRB) a preencher a cota mínima estipulada pelo TSE, que exige um mínimo de candidatas por coligação de vereador. Sem fazer campanha, ela teve apenas um voto.

    Em 2014 foi candidato à deputado federal pelo PRB, e teve 5664 votos, ficou como 7º suplente dos dois deputados que seu partido elegeu.

Vereança:
     Criador de gatos, Pastor Jorge Costa, entre outros fez projetos de lei em defesa dos animais.
     Há uma extensa ficha de realizações, que ainda não levantei, sobre seu mandato legislativo de 2005 a 2008, em breve publicarei um resumo aqui.
Pr. Jorge e Marcelo Crivella

Vice-Prefeito:
     Em fevereiro de 2015, rompeu com o prefeito Jonas Marins, e foi 'despejado' de seu gabinete de vice-prefeito, transferido do 2º para o 4º andar do Paço Municipal.

Governo:
     Em 1º de Junho de 2016, após pedido do Ministério Público Federal que afastou o prefeito Jonas Marins, assumiu interinamente a prefeitura, ocupou logo cedo à tarde no Paço Municipal, o gabinete de prefeito, e recebeu diversas autoridades, logo mais tarde, em pequena cerimonia no gabinete da presidência da Câmara Municipal, assinou o termo de posse.
Pr. Jorge Costa, assina o termo de posse
na Câmara Municipal, com os ver.:
Lia Preto, Ivan de Rialto, Dr. Ricardo,
Marcelo Cabeleireiro e Dr. Furlani.
Foto: Paulo Dimas do Diário do Vale.
     Na sexta-feira, 15 de Julho, com 45 dias de governo, divulgou um vídeo em sua página no facebook, ao qual se despediu do gabinete do Paço Municipal Prefeito Luiz Amaral, em razão de uma decisão liminar do Supremo Tribunal Federal, que deliberou pela volta de Jonas Marins.

Família:
     É casado com Dona Odete Rangel Costa, dona de casa, nascida no Rio de Janeiro.

     Conheço Jorge Costa, desde que assistia às sessões da Câmara Municipal de Barra Mansa, em 2005, sempre tivemos um relacionamento cordial e pacífico.


ZÉ RENATO 
2009 - 2012
Eleições de 2008 - Foto - Jornal Aqui
03/04/2009 - Foto Oficial, registrada pelo fotógrafo Valdinei Ferreira

Mozart Judice, Zé Renato e Marcell Castro em
14/07/2012 na Praça Ponce de Leon
     José Renato Bruno Carvalho nasceu em Barra Mansa, em 13 de novembro de 1957.
     Amigo de infância de minha família, Zé Renato cresceu no centro da cidade, e foi estudar em Lorena - SP.
     Formado em Engenharia Química, Zé Renato trabalhou no SAAE, e na gestão do Prefeito Roosevelt Brasil foi diretor da Superintendência de Serviços e Obras Públicas (SUSESP), uma espécie de Secretário de Obras.

     Filiado ao PMDB, em 2006 foi candidato à deputado federal, conquistou 16.368 votos e não conseguiu se eleger;
     Em 2008 foi escolhido por Roosevelt para sucede-lo. Foi eleito prefeito com 39.319 votos (39%), venceu aos adversários: Ademir Melo do PSDB - 26.037 votos, Inês Pandeló do PT - 23.062 votos, Jonas Marins do PC do B - 10.400 votos e Arnaldo Borges do PPS - 913 votos. Usou o
Com os pais, na formatura de Eng. Químico.
jingle"Deixa o homem trabalhar, lai laiai, pra cidade melhorar, lai laia, vota no 15 é o voto inteligente, Zé Renato é boa gente, Zé Renato eu vou votar, vota no 15 é o melhor pra nossa gente, Zé Renato é diferente, deixa o homem trabalhar..."(Ritmo de forró).

Governo:
     Prefeito de 01/01/2009 à 31/12/2012, sua vice foi a Dra.Ruth Cristina Coutinho Henriques de Lima Rebello, a Ruthinha.
     Slogan: "Cuidando da cidade, cuidando de você".
     Na sua gestão, foram realizadas importantes obras, com destaque para o início em 2010, da Readequação Ferroviária, e transferência do Pátio de Manobras; construção do Viaduto de Saudade, início da construção do Viaduto da
01/01/2009 - Ruthinha e Zé Renato - tomam
posse no Palácio Barão de Guapy.
Foto: Paulo Dimas
Barbará; construção e inauguração do Centro de Tratamento de Resíduos Sólidos - em substituição ao antigo lixão -; início da construção da Zona Especial de Negócios, na Rod. Presidente Dutra, divisa com Volta Redonda; asfaltamento de diversas ruas, asfaltamento da estrada Santa Rita de Cássia - Vila Nova, início das obras da estrada Colônia - Rialto, construção de cinco novos colégios e reforma e ampliação de outros quatro, novas quadras de esportes, início da construção da Unidade de Pronto Atendimento do bairro Boa Vista I na Região Leste; inauguração do Parque Ecológico de Saudade; reforma da Curva da Pedra - na divisa de Vila Nova e Vista Alegre, com ampliação da rua São Pedro; entre muitas outras.
Um dos Logotipos mais usados em seu governo
     Em 2011 foi revisada a divisão em bairros do município, fixando em 86 oficiais.

     Durante a sua gestão a empresa Bom Gosto instalou-se na desativada fábrica da Nestlé.

     Em 2012 tentou a reeleição, com Hilton Alexandre Alves - Peninha, da Rádio do Comércio, de vice .
Abril de 2011 - Marcell Castro discursa ao lado
de Ruthinha, Zé Renato, Sonia Coutinho au-
-toridades e populares em anúncio de obras.
     Usou alguns jingles: o mesmo de Roosevelt nas eleições de 2004; e o inédito: "Outra vez, quero ver a cidade a cantar, quero ver o sorriso nascer, no seu rosto feliz. Outra vez quem merece o meu voto é quem fez, confiança não se joga fora, vou votar outra vez! Eu vou, votar no 15, pra cidade não parar! Com Zé Renato, Barra Mansa vai ganhar...." (Ritmo de forró).

     Não logrou êxito, conquistou (34.360 votos - 34,38%), e ficou em 2º lugar.
     Zé Renato foi sucedido por Jonas Marins.

Família:
04/05/2011 - Início da construção do Viaduto do
bairro Barbará - Ruthinha, Zé Renato, Baianinho,
Elias Romeiro, Vicentinho, Ueslei da Farmácia

outros ouvem Marcell Castro discursar seu poema
em alusão as Obras de Readequação Ferroviária.
     José Renato é o mais novo dos sete filhos de Sr. Carvalhinho - Jayme Oscar de Pinho Carvalho Júnior e de Dona Mariinha - Maria Naves Bruno Carvalho - filha de Mizael Pereira Bruno e Josepha Cândida Naves.
     Sr. Carvalhinho era comerciante, e foi provedor da Santa Casa de Misericórdia de Barra Mansa.

     É sobrinho do político João Baptista de Pinho Carvalho, vereador em Barra Mansa de 1947 a 1951, e de 1955 a 1959, e presidente da Câmara em 1957.

     José Renato é casado com Dona Emiliana Melchior Carvalho, são pais do engenheiro Bruno, e da dentista Thaís. Bruno é pai de Maria.
1000 dias de governo em 2011, com a Primeira 
Dama Emiliana na prefeitura - Jornal Aqui.

     É primo em 3º grau de Dona Dione Ignês Chiesse Drable, que foi primeira-dama de Barra Mansa por duas vezes. Pois Dona Dione é neta de Antônio Pereira Bruno - irmão de Mizael Pereira Bruno (avô de Zé Renato).
     É primo em 5º grau de Rodrigo Drable, prefeito eleito de Barra Mansa, para o mandato de 2017 a 2020.
     É primo em 5º grau de Dona Ligia Chiesse Fonseca, nora de Roosevelt Brasil.

Atualidade:
     Em 2013 a convite do seu amigo Prefeito Rechuan, assumiu a presidência da Sanear - Agência de Saneamento de Resende, por ser especialista nesta área.
     Reside na mesma casa em que nasceu, no Centro de Barra Mansa.


ROOSEVELT BRASIL
2001 - 2008
Candidato a deputado nas Eleições de 2010 - Foto Paulo Dimas

Foto Oficial - Semblante de firmeza e seriedade.
Comício nas eleições de 2008 - Marcell Castro em 
discurso à centenas de pessoas, elogia Roosevelt
Brasil, do seu lado no palanque, presentes também:
Ver. Lula, Sônia Coutinho, Zé Renato e Valdir.
     Engº Roosevelt Brasil Fonseca nasceu em 31/05/1959 em Apiacá no Estado do Espírito Santo, porém a sua família radicou-se no município vizinho de São José do Calçado - ES.
      Casou-se com Tania de Souza Lima Duque Fonseca, bióloga, natural de Rio Preto - MG.
     Em 1977 foi estudar na Fundação Rosemar Pimentel - atual UGB, e formou-se em Engenharia Civil, depois participou do Plano de Expansão III da CSN em Volta Redonda, em seguida de 1983 a 1992 trabalhou no SAAE de Barra Mansa, onde foi gerente, diretor técnico e diretor presidente. Também foi professor de hidráulica na UFF em Volta Redonda - 1988.

01/01/2001 - Posse no Ilha Clube


Logo do 1º Mandato
     Nos estudos, cursou também pós-graduação na FGV em Administração Financeira - 1991, e em Administração Pública - 1992.
     Foi proprietário de uma pequena loja no bairro Ano Bom.

Eleições:
     Em 1992 foi indicado a sucessão do Prefeito Ismael de Souza, aceitou e disputou a eleição de prefeito. Ficou atrás de Moacyr Chiesse, José Valente e Luiz Amaral - que venceu pela 3ª vez.


     Depois em 1996 pelo PDT, candidatou-se novamente a prefeito - com Dr. Sérgio Gomes de vice -, teve 9.498 votos, ficou em 3º lugar, atrás de Dr. Ismael do PPB e Inês Pandeló do PT que venceu.
     Em 1998 pelo PSB foi candidato pela primeira vez à deputado estadual, teve 12.398 votos, e não se elegeu.
Dr. Ronaldo Barbosa, Roosevelt, Sérgio Rocha,
Zé Renato e Dr. Arnaldo Borges
     Em 2000 pelo PSB foi candidato novamente, pela 3ª vez a prefeito e venceu as eleições com 35.524 votos (38%), contra Inês Pandeló do PT - 28.426 votos e Dr. Ismael do PDT - 27.733 votos.
     O seu jingle foi: "Oh Roosevelt, Roosevelt Brasil, 40 é o número do prefeito, Roosevelt Brasil...". (Ritmo: Pop).
     Em 2004 pelo PMDB foi reeleito com a maior votação da história do município - 59.154 votos, contra Inês Pandeló do PT - 18.596 votos, Guto Nader do PL - 17.898 votos, Dr. Ismael do PDT - 2.631 votos, Dr. Aloizio Perez do PT do B - 574 votos, Roberto Chapéu do PC do B - 562 votos, Flávio de Oliveira Pereira do PHS - 431 votos e Pedro Maximiliano Alves do PSTU - que teve o seu registro negado, porém fez campanha.
01/01/2005 - Posse na Casa do Rotaryano no
 Ano Bom, com Ademir Melo e Arnaldo Borges

Logo do 2º Mandato
     Seu animado jingle foi: "...pra governar bem, uma cidade, tem que ter honestidade, pra cuidar bem, da nossa gente, tem que ser competente, eu quero bem, e ele é do bem, por isso eu vou mais além, eu boto fé e voto 15, quero ver ele continuar a mudar, por isso eu boto fé, voto Roosevelt, Barra Mansa não pode parar, o que é bom tem que continuar..." (Ritmo: Pop).
     Em 2006 lançou sua esposa Tânia Brasil, candidata, a deputada estadual pelo PMN, ela conquistou 19.746 votos, e não conseguiu se eleger.

Governo:
     Prefeito de 01/01/2001 a 31/12/2008. Nos dois mandatos seu vice foi o Dr. Arnaldo dos Reis Borges.
     No primeiro usou o slogan: "Fazendo bem feito, governando de verdade", e no segundo: "Prefeitura, fazendo cada vez melhor".
     Sua gestão foi das mais marcantes, caracterizada por centenas de obras, construção de doze novas escolas, reforma e ampliação de outras dez.
15/10/2007 - Acervo Jornal Aqui
     Asfaltamento de centenas de ruas, incluso as do Centro; ligação com asfalto dos bairros Getúlio Vargas ao São Francisco de Assis; da Vila Independência ao São Pedro; construção de dezenas de 
Banda do Projeto Música nas Escolas
quadras poliesportivas e praças; compra do antigo Quartel do Exército e transformação em Parque da Cidade; construção da nova Ponte Mauá; prolongamento da Avenida Argemiro de Paula Coutinho até a Barbará; parceria na construção do novo Fórum, e transferência da Câmara de Vereadores; reforma do térreo, faixada, e construção de sobreloja no Paço Municipal; conquista da aprovação pelo Ministério dos Transportes, das obras de Readequação Ferroviária, e transferência do Pátio de Manobras; transferência dos camelôs do Centro para o novo Shopping Popular - construído na Rua Rio Branco; inauguração do viaduto Dr. Didácio Fonseca; do Hospital da Mulher; ampla reforma da Policlínica Nove de Abril, conquista da Unidade de Pronto Atendimento ao lado da prefeitura; revitalização paisagística do Centro da cidade; modernização da Guarda Municipal; criação da Guarda Ambiental; Programa Saúde da Família entre outras.

     O Projeto Música nas Escolas foi sua ideia, implementado junto ao maestro Vantuil, hoje é um grande sucesso e projetou Barra Mansa internacionalmente.
Roosevelt Brasil, e José Renato no aniversário de
Dudu, no Roberto Silveira.
     Sancionou em 2006 a criação do novo distrito de Santa Rita de Cássia, desmembrado do Distrito Sede; criou o abairramento oficial do município.


     Seu mandato foi popular, e ele conseguiu eleger o seu sucessor - José Renato, seu amigo antigo, e que foi uma espécie de Secretário de Obras em seu governo;

     Em 2009 voltou à prefeitura de Barra Mansa onde assumiu a nova Assessoria de Captação de Recursos e Investimentos;
     Em 2010 foi candidato à deputado estadual, teve 34.891 votos, não conseguiu se eleger. Usou o jingle "... é competente e é amigo do Cabral, voto Roosevelt Brasil, é 15015 - deputado estadual..."

2010 - Campanha à deputado: Antonio Francisco
Neto (Pref. de Volta Redonda), Zé Renato,
Roosevelt e Deley pedem votos na Av. Joaquim
Leite - Foto - Diário do Vale.
Família:
     Roosevelt e Tânia são pais de quatro filhos: Engenheiro Filipe, a advogada Natália, e os futuros médicos Bárbara e Matheus. Filipe é casado com Lígia Chiesse - pais do pequeno Pedro Chiesse Fonseca.
Lígia é prima em 3º grau do Pref. Rodrigo Drable, em 5º grau do Pref. Zé Renato, e sobrinha-neta de Dona Dione Chiesse Drable, que foi primeira-dama da nossa cidade.
     Anderson Brasil, irmão de Roosevelt, também veio habitar em Barra Mansa, já foi presidente do Diretório Municipal do PMDB.

Atualidade:
Tânia e Roosevelt no casamento de seu filho
Filipe
     Em 2011 assumiu o cargo de conselheiro da Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do RJ, em 2014 assumiu a presidência do conselho consultivo do Instituto Rio-Águas.

     Membro da Igreja Presbiteriana do Brasil.

     Considerado por muitos o melhor prefeito da história de Barra Mansa.

     Me convidou junto com Lúcio Teixeira em 2007 para ser candidato pelo PMDB no ano seguinte. 
     Quando prefeito, residiu no bairro Residencial Cristo Redentor, e na atualidade mora no Rio de Janeiro, e com frequência, visita Barra Mansa.

     É sempre bom conversar com Roosevelt, e aprender mais sobre política e administração pública.

INÊS PANDELÓ
1997 - 2000
A vereadora Inês em campanha à prefeita em 1996
Pintura, na Galeria dos Prefeitos
do Palácio Barão de Guapy
     Maria Inês Pandeló Cerqueira nasceu em 19 de fevereiro de 1959 em Cataguases - MG. Veio à Barra Mansa com a família, tendo a idade de 14 anos.

     Foi funcionária do extinto Banco Nacional, no Centro de Barra Mansa.
     Formou-se em jornalismo na antiga SOBEU, atual UBM.

     Foi sindicalista, e participou das pastorais da Igreja Católica, foi assessora parlamentar da bancada do PT, na 42ª Legislatura da Câmara de Barra Mansa; e vereadora na legislatura seguinte (1993 - 1996).

     Em 1996 foi eleita pelo PT, a primeira prefeita de Barra Mansa com 34.427 votos, venceu a: Dr. Ismael do PPB - 25.937 votos, Roosevelt Brasil do PDT - 9.498 votos, Ricardo Maciel do PSDB - 9.436 votos, J. Chagas do PMN - 5.130 votos e Flávio de Oliveira Pereira do PSD - 1596 votos.
     Inês também foi a primeira prefeita do Sul Fluminense.
Vereadora Inês, a discursar no Palácio
Barão de Guapy.

Governo:
     Sucedeu ao Dr. Luiz Amaral - em seu 3º mandato -, Inês governou de 01/01/1997 a 31/12/2000, seu vice-prefeito foi Benedito d'Arc Breves Rimulo, o Darquinho da D'arc Tintas. Slogan: "Na mão certa".
     Durante a sua gestão deu início a construção do Viaduto Dr. Didácio da Fonseca e ao Hospital da Mulher, asfaltamento de entradas da cidade, e alargamento da ponte Saudade - Vila Maria, reforma da Fazenda da Posse, construiu o novo Terminal Rodoviário dos Ex-Combatentes - atrás da Igreja Matriz de Barra Mansa, que atende aos bairros da região sul do município.
09/out/1996 - 3 dias após ser eleita, em reunião
com Luiz Amaral, para discutir situação do
governo municipal. Foto - Diário do Vale.
     Segundo ela, seu mandato foi marcado pelo Orçamento Participativo Municipal.
     O aumento do IPTU em cerca de 400% marcou profundamente seu governo.
     Rompeu politicamente com seu vice - Darquinho.

     Em 2000, ano em que ocorreu uma grande enchente no município, tentou a reeleição, com o vice - Paulo Pereira de Almeida, o popular radialista Compadre Nené. Teve 28.426 votos e ficou em 2º lugar, foi sucedida por Roosevelt Brasil.


Logotipo do seu governo
Após a prefeitura:
     Em 2002 foi eleita deputada estadual com 32.673 votos.

     Em 2004 tentou voltar a prefeitura - usou o jingle: "Inesquecível é você Inês, que faz a estrela brilhar... E o trem mineiro vai voltar" . J. Chagas era o candidato a vice -, teve 18.596 votos, ficou em 2º lugar e perdeu outra vez para Roosevelt Brasil.
     Em 2006 foi reeleita deputada estadual com 36.395 votos.


Se declara amiga de Lula
     Em 2008 candidatou-se pela quarta vez à prefeita - usou o jingle: "...Identidade e experiência a gente quer, Inês para governar...". Seu candidato a vice foi o ex-Pref. Dr. Ismael. Teve 23.062 votos, ficou em 3º lugar, foi vencida por Zé Renato.

     Em 2010 foi reeleita para o 3º mandato de deputada estadual na ALERJ com 28.798 votos.

     Em 2012 disputou pela quinta vez a prefeitura de Barra Mansa, jingle: "É 1 é 3, treze é a força da Inês, chegou a hora agora é 1, é 3, avança Barra 
Com o vice Darquinho
Mansa...". Ruthinha foi sua candidata à vice - ela era a vice-prefeita no governo Zé Renato, rompeu com ele, especulou-se que Ruthinha seria candidata à prefeita, mas acabou a formar chapa com Inês. Pandeló - teve 20.513 votos, ficou em 3º lugar, foi vencida por Jonas Marins.

     Em 2014 não pode concorrer a reeleição na ALERJ.

Família:
     Filha de José Joaquim Cerqueira Júnior e Maria Antônia Pandeló Cerqueira.
Inês com seus pais

Homenagens:
     A nova ponte entre Saudade e Vila Maria, construída por ela, leva o seu nome.

Atualidade:
     É residente no bairro Santa Maria II.
     Estuda Pós-Graduação na área de História na Universidade Severino Sombra em Vassouras-RJ.
     Em 2015 foi empossada na Academia Barramansense de História.


LUIZ AMARAL
1993 - 1996
1983 - 1988
1971 - 1973
Luiz Amaral e Marcell Castro, juntos pela mesma chapa nas eleições de 2015 da OAB Barra Mansa.


     Luiz Carlos Suckow Ferreira do Amaral, Professor Luizinho, o Homem de Branco, (Distrito de Quatis - Município de Barra Mansa, 7 de março de 1930 Centro, Barra Mansa, 7 de abril de 2016).
     Luiz Amaral veio na infância para a sede de Barra Mansa, onde estudou o primário, o secundário, e depois técnico em contabilidade. Professor desde os seus vinte anos, deu aulas de matemática em muitos colégios públicos e particulares de Barra Mansa, Volta Redonda e Resende. Foi inclusive professor de minha mãe.
     Foi diretor de vários colégios, e Secretário Municipal de Educação de Barra Mansa.

     Em 1970 formou-se em Direito na primeira turma da SOBEU - futuro UBM -, ao lado de Féres Nader, e Guilherme de Carvalho Cruz.
1970 - 1ª turma de Direito da
SOBEU. Feres Nader e Luiz Amaral
     Foi mais um dos prefeitos de Barra Mansa nascidos no distrito de Quatis. Por três vezes intercaladas governou o nosso município.

Eleições de 1970:
     Concorreu com Saverio Davino, que também era de Quatis, e por ser professor, muitos o conheciam, fazia campanha nas portas das fábricas.

Primeiro Mandato de Prefeito:
     Filiado ao PTN, foi eleito em 1970, para uma gestão de apenas dois anos - de 1971 a 1973.
     Sucede Marcello Drable, no seu primeiro mandato.
     Teve destaque a construção da nova ponte Nilo Peçanha, (próximo a prefeitura), o novo sistema de abastecimento de água do município, o SAAE do Ano Bom, e o convênio com o Estado na construção da Ponte Vila Nova - Saudade.
     Foi seu vice o Sr. Antônio Alves Amorim.
     Luiz Amaral foi sucedido por Féres Nader.

Eleições de 1982:
Desenho do Pref. Luiz Amaral
na década de 1980
- Jornal Projeção.
     No sistema da sub-legenda - em que mais de um candidato disputava as eleições pelo mesmo partido -, disputou pelo PMDB, e venceu aos concorrentes: Dr. Elmiro Chiesse Coutinho - (PMDB); Dr. Ismael de Souza - (PMDB); Sr. Hyeróclio Barros (PTB) - casado com uma neta do ex-prefeito Wanderlino Teixeira Leite -, Féres Nader (PDS), João de Barros (PDS) - irmão de Luiz Baptista de Barros -, a Américo Lacerda (PDS), a Ataíde Pinto (PDT), e a Wanderley Dias (PT).

Segundo Mandato de Prefeito:
     Eleito para o mandato de seis anos (1983 - 1988). Sucedeu Marcello Drable no 2º mandato dele.
     Teve como vice, Oswaldo Porto de Floriano.
     Promoveu importantes avanços na Região Leste do município, e foi assinado o convênio entre os SAAE's de Barra Mansa e de Volta Redonda, na qual a administração de Barra Mansa compra água da de Volta Redonda, para abastecer a todos aqueles bairros.
1984 - Inauguração do Centro Adm.
Prefeito Luiz Amaral: Da esq. p/dir:

Álvaro Pereira, Maria Lúcia Amaral 
(1ª Dama), Sebastião Duque, 
Denisar Arneiro e Luiz Amaral.
     Também no abastecimento em outras regiões da cidade, destaca-se a construção de uma elevatória na Piteiras; e do reservatório no Jardim Central;
     Fato marcante foi a permuta do prédio do antigo fórum - na Praça Ponce de Leon -, pelo prédio do antigo Moinho Barra Mansa, Luiz Amaral firmou um convênio com o BANERJ, para a reforma do atual paço. Antes a prefeitura funcionava no térreo do Palácio Barão de Guapy. Na mesma época foi adquirido o prédio da sede do SAAE na Rua Bernardino Silva, Centro.
     Houve também a regularização do registro de diversas casas em vários bairros, que estavam em situação de posseiros; foram construídos campos de futebol em bairros; foi firmado um convênio com a Santa Casa, Prefeitura, e Barra Mansa Futebol Clube - que permitiu a transferência do estádio de futebol que ficava ao lado da Santa Casa, para a Colônia, para permitir espaço à expansão do hospital.
    Várias escolas e postos de saúde foram construídos, e calçou diversas ruas em muitos bairros e distritos
Centro Administrativo Prefeito Luiz Amaral
     A Ponte Ataulpho Pinto dos Reis, foi totalmente reformada, com o apoio do governador Brizola, e entregue em 17 de Junho de 1984. A popular Ponte dos Arcos, teve de ser reconstruída, pois em 11/05/1982 seu vão central cedeu.
     Foi construído o viaduto ferroviário Jornalista Juarez Modesto - que passa por cima da Av. Dario Aragão, e possibilitou a ligação desta com a Av. Sérgio Braga. Houve a abertura da Rua Cristóvão Leal, que desafogou o trânsito na Rua Pinto Ribeiro.
     Foi regulamentada a divisa com Volta Redonda, na margem norte do Rio Paraíba do Sul, infelizmente, com a transferência dos bairros Jardim Belmonte, Siderlândia, Belmonte e Morada do Sol para o nosso antigo distrito.
Sede Regional da Prefeitura e SAAE de
Barra Mansa no bairro 9 de Abril, outra realização
do Governo Luiz Amaral

Imagem - Google
     Foram criados os famosos torneios leiteiros nos distritos de Amparo, Rialto, Ribeirão de São Joaquim, e no então povoado de Antônio Rocha; que ocorrem até a atualidade, anualmente.
     Em maio de 1988 - último ano da gestão -, precisou se ausentar, e foi substituído pelo presidente da Câmara - Alderando Casali Marques.
     Luiz Amaral  foi sucedido pelo Dr. Ismael.

Eleições de 1988:
     Não havia reeleição, Pref. Luiz Amaral apoiou ao Dr. Wellington Ribeiro, o popular - Helinho Pé de Couve, que perdeu para Dr. Ismael de Souza.
1984 - Luiz Amaral, e o conhecido comerciante
Dr. Alberto Aldet.

Eleições de 1990:
     Após deixar a prefeitura, durante a gestão do Dr. Ismael; Dr. Luiz Amaral foi candidato à deputado estadual, n'esta disputa, José Valente também foi candidato ao mesmo cargo.
     Amaral não se elegeu - apesar de ter muitos votos a mais que Valente, que se elegeu. Pelo sistema de voto proporcional, legenda partidária.

Eleições de 1992:
Janeiro de 1993 - Posse - Luiz Amaral discursa
no Palácio Barão de Guapy, ao lado de Cláudio
Meirelles. Foto - Carlos Roberto - Diário do Vale
     Em 1992, disputou contra José Valente do PT, Moacyr Chiesse do PMDB e Roosevelt Brasil. Luiz Amaral foi eleito prefeito pela terceira vez, um recorde na história de Barra Mansa.

Terceiro Mandato de Prefeito:
     Governou de 01/01/1993 a 31/12/1996, seu vice foi o pecuarista Cláudio Martini Meirelles.
     Sucedeu ao Dr. Ismael de Souza.
     Nesse seu novo governo já não faziam parte de Barra Mansa: Quatis, Falcão e Ribeirão de São Joaquim, segregados na administração anterior.
Década de 1990 - O popular Pref. Luiz Amaral
em seu 3º mandato - foto - Diário do Vale
     Essa gestão foi chamada de "Administração Cidade Campo", logo em 1993, foi criado o novo distrito de Antônio Rocha, desanexado do distrito sede, composto pelos bairros Antônio Rocha e Ataulfo de Paiva.
     Através de contatos pessoais junto ao governo federal conseguiu financiamento para a realização de obras de infra-estrutura, saneamento básico, pavimentação de ruas e outras benfeitorias na Região Leste, através de um projeto próprio para a área.
     Foi firmado o convênio para a reforma da Fazenda da Posse em 1994 - Primeira edificação do município.

Tentativa de Emancipação do Distrito de Floriano:
1994 - Assinatura do convênio para Recuperação
da Fazenda da Posse - Luiz Amaral, José Mário
Ramos e Alan Carlos Rocha
     Fato marcante em seu terceiro governo. Floriano a época, sua divisa com o distrito Sede era a foz do Rio Bananal; Vila Maria, Vila Ursulino, Santa Maria, Morada do Vale faziam parte dos seus termos. Felizmente graças ao querido Professor Luizinho, eles não conseguiram este intento de diminuir Barra Mansa.
     Já os termos do distrito de Rialto iam até a foz do Rio Bocaina, no Rio Bananal, abrangendo a Colônia Santo Antônio.
     Para evitar a perda de Floriano, com grande habilidade, o prefeito fez diversas ações. Segundo o radialista Sebastião Alves, ele ameaçou até mesmo levar a sede da prefeitura de Barra Mansa para lá, se fosse necessário.
Divisão Administrativa de 1994
     Em 1994 Luiz Amaral sancionou a justa redefinição dos limites do distritos, que transferiu os bairros Vila Maria, Vila Ursulino, Santa Maria, Morada do Vale, e Colônia - de Floriano e de Rialto -, para os termos do distrito Sede.

Eleições de 1996:
     Ainda não havia reeleição seguida para cargos executivos, e ele não pode se candidatar. Apoiou ao Dr. Ricardo Maciel, que perdeu para Inês Pandeló.

Eleições seguintes:
     Membro do PSDB, em 2008 apoiou ao seu correligionário Ademir Melo, que perdeu para José Renato.

Pintura, na Galeria dos Prefeitos
do Palácio Barão de Guapy
     Em 2012, aos 82 anos, foi aclamado candidato à vice-prefeito na chapa do famoso juiz aposentado Dr. Paulo Cosenza, porém não quis disputar o cargo. Quiseram fazer similar a Resende, na qual o ex-prefeito Noel de Oliveira, concorreu de vice na chapa de Rechuan, em 2008 e também em 2012. Outra pessoa foi indicada à vice no lugar de Amaral. Porém Cosenza também desistiu de concorrer ao pleito. N'aquele ano o PSDB não lançou candidato à prefeitura, nem apoiou oficialmente algum candidato.

OAB:
     Foi conselheiro da 4ª subseção (Barra Mansa - Quatis) e diretor da Escola
Superior de Advocacia nas gestões dos presidentes Dr. Hércules Anton de Almeida e Dr. Ayrton Biolchini Justo.
     Nas eleições de Novembro de 2015, esteve candidato a conselheiro na chapa situacionista de Dr. Juliano Almeida, e perderam para o Dr. Noé Garcez.

Família:
1984 - Pref.Luiz Amaral e a elegante Maria
Lúcia, Primeira-Dama de Barra Mansa
     Filho do ferroviário Humberto do Amaral e Dona Maria da Glória Júlia Suckow Ferreira do Amaral, Dona Pichú.
     Seu pai ferroviário, como meu bisavô Hermogenes de Castro, (neto de Maria Candida do Amaral) também era de Lavras - MG.
     Humberto do Amaral, veio para Barra Mansa por volta de 1916, nunca disputou cargo eletivo, mas participava de partidos políticos e de suas reuniões, esteve ao lado de Isimbardo Peixoto, José Cardoso Guimarães Cotia, Dr. Dário Aragão, nas lutas pelo engrandecimento da nossa Barra Mansa. Era amigo também de José Marcelino de Camargo, Juarez Modesto, e dos irmãos Bondarovsky. Humberto foi também, por dois períodos, venerável da Loja Maçônica Independência e Luz. Além de Luiz Amaral, teve também aos filhos: Marcelo, Helena, o médico Dr. Maurício do Amaral - pai do médico de mesmo nome -, Maria Georgina, Virgílio, Rachel, Heloísa e Aloísio. 

Luiz Amaral e Marcell Castro
15/10/2010 - Palácio Barão de Guapy
     Dr. Luiz Amaral casou-se com Dona Maria Lúcia Lobo em 15/12/1956, pais da professora Ana Lúcia, do cardiologista Dr. Luiz Carlos Filho, e da advogada Luciana; seus netos: Ana Flávia, Leandro, Amanda, Paula e Bruna.

Homenagens:
     Nome de colégio municipal no Goiabal, e do Centro Administrativo onde esta o Paço Municipal.
     Possui o Título de Cidadão Voltarredondense.

 Últimos Anos:
Luiz Amaral e Marcell Castro na solenidade de
inauguração do novo letreiro do Paço Municipal
     Residia no Centro de Barra Mansa. E exerceu a advocacia com a sua filha no escritório A Amaral Associados, no Ed. Profissões Liberais na Av. Joaquim Leite.
     Participava com frequência de eventos políticos e sociais do município.
     Seu passamento surpreendeu penosamente a nossa população, estava participando de uma audiência no Fórum de Barra Mansa, quando se sentiu mal por volta das 16h de 6 de abril de 2016, socorrido, foi levado à Santa Casa, infelizmente nos deixou por volta das 4h da madrugada. As exéquias ocorreram na quadra do Clube Municipal, no momento seu filho fez um pronunciamento que muito emocionou a todos, em suas palavras, seu pai era sinônimo de Barra Mansa, trabalhou desde os 10 anos, e morreu trabalhando.

Em 13/Nov/2014 em homenagem
no Paço Municipal pelo
Pref. Jonas Marins.

Foto: Cris Oliveira.
     A sua trajetória vitoriosa, o seu jeito único, Luiz Amaral foi com certeza o político mais popular d'estes tempos, suas roupas alvas, seu largo sorriso, suas piadas, suas histórias, sua generosidade, sua inteligência aguçada, farão muita falta a nossa cidade. Neste pobre texto, e nestas curtas palavras, são poucas para expressar o que o seu nome, e sua presença representaram para este pedaço de Brasil, ao qual muito lhe deve seus prestimosos e numerosos serviços. Barra Mansa não o esquecerá, eu não o esquecerei. Sua família, seus admiradores, amigos e discípulos perpetuaram a sua memória. Orgulho de ter compartilhado da sua amizade, e companhia.

     Tive a honra de ser amigo de Luiz Amaral e de sua família, e conversar com ele para ouvir histórias de Barra Mansa, e receber valiosos conselhos políticos. Foi meu incentivador na política.
     Cheguei a gravar duas entrevistas com ele, para o projeto da história dos prefeitos de Barra Mansa.

     Em breve irei acrescentar mais informações sobre este grande barramansense, advindas das entrevistas realizadas.

Fonte: http://avozdacidade.com/site/noticias/gente-que-faz-historia/43857/
          Livro "Patronos das Escolas Municipais de Barra Mansa".

DR. ISMAEL DE SOUZA
1989 - 1992
Prefeito Ismael discursando na Vila Independência
1984 - Ismael de Souza, na época sec. de saúde
e Elmiro Chiesse Coutinho - Inauguração do
novo Paço Municipal.
     Ismael Alves de Souza nasceu em Barra Mansa em 27 de Dezembro de 1945.
     Formou-se em medicina em 1974 em Vassouras - RJ e especializou-se no Instituto Mazagão Gesteira no Rio de Janeiro em Atualização Cardiológica, Cardiologia Pediátrica, Neomatologia Pediátrica, Pneumologia Pediátrica e Nefrologia Pediátrica.
     Cursou Saúde Pública em Cuba por 15 dias.
     Foi presidente da cooperativa UNIMED Barra Mansa de 1978 a 1988. Foi médico do INAMPS em 1976, e da prefeitura de Barra Mansa desde 1983.
     Candidatou-se a prefeito pela 1ª vez em 1982, quando vigorava o sistema de sub-legenda. Foi vencido por Luiz Amaral, que junto a Elmiro Chiesse Coutinho, e Dr. Ismael, concorreram pelo mesmo partido.
Dr. Ismael de Souza - Quando prefeito -
Revista "Municípios do Brasil".
     Secretário Municipal de Saúde na gestão do prefeito Luiz Amaral de 1983 a 1987.
     No pleito de 1988, usou o slogan: "David contra Golias", elegeu-se prefeito com 34.522 votos, de um total de 90.982 votantes, venceu aos concorrentes: Marcello Drable, José Valente, Wellington Ribeiro, o popular "Helinho Pé de Couve" - apoiado por Luiz Amaral -, e J. Garcia - dono de loja de tintas.

Governo:
     Prefeito de 01/01/1989 a 31/12/1992. Slogan: "Trabalhando pra mudar".
     Seu vice foi o Sr. Nilson Carreiro, dono de padaria na Vila Nova.
     Sucedeu ao Prefeito Luiz Amaral, no segundo mandato d'este.
Pintura, na Galeria dos Prefeitos
do Palácio Barão de Guapy
     Na sua equipe de governo, fizeram parte: Roosevelt Brasil, Carlos Roberto Paiva (que é o atual vice-prefeito de Volta Redonda, antigo distrito barramansense), Jackson Rabello, Carlos Elias Curty, Dr. Orlando Ferreira Fraga, Marcos Antônio Marques, Elenice Pinheiro Machado, Doricléa Pineschi de Oliveira, Alcino Camatta, Hélio Gonçalves Ferreira, Marco Chiesse, entre outros.
     São realizações de destaque em sua gestão: Água: abastecimento dos bairros: da Região Sul (Santa Clara, Goiabal...); Colônia Santo Antônio; Vila Delgado; construção de Estação de Tratamento de Água na Várzea do Quartel ao lado do Parque da Cidade; SAAE para atender aos bairros: Getúlio Vargas, Vale do Paraíba e Aparecida. Melhoras no abastecimento do Ano Bom, Santa Rosa, Residencial Cristo Redentor.


Inauguração do Abastecimento de
Água, com Poço Tubular Profundo
na Colônia. Acervo Milton Fotog.
      A estrada de ligação e conclusão das cabeceiras da Ponte Wanderlino Teixeira Leite (Floriano x Quatis); abertura de diversas ruas em Barra Mansa, com destaque para Av. João Chiesse Filho - no Jardim Boa Vista; Anizio Gomes da Silva (atrás do bramil); Av. Brasília na Vila Nova (Atual Av. José Melchiades); ligação dos bairros Santa Clara e Santa Lúcia. Na saúde inaugurou as SIRENE's (Serviço de Saúde Integrado e Regionalizado de Natureza Emergencial), em Boa Sorte, Vila Nova e Nove de Abril; e mais de vinte postos de Saúde, implantou gabinetes odontológicos em vários bairros, inaugurou o CREMEB; inaugurou o Hemonúcleo do município; reformou o Parque Centenário (Jardim das Preguiças); na educação - reformou colégios; no campo - recuperou estradas vicinais.

     Durante seu governo foram implantados o bairro Recanto do Sol, e alguns loteamentos na Colônia Santo Antônio.
     Criou a Funerária Municipal, acabando com o penoso sistema de competição entre as diversas funerárias particulares que existiam, considerados por muitos como mafiosas.
     A reestruturação da Guarda Municipal, o FUNDAMP, e a ASBAM, também foram destaque em seu governo.
Abertura da Av. Brasília na Vila Nova
Acervo Milton Fotog.

     Fato negativo durante este período foi a emancipação do distrito de Quatis - que anexou consigo aos distritos de Ribeirão de São Joaquim e Falcão.
     Dr. Ismael foi sucedido pelo Prefeito Luiz Amaral - que chegou ao seu 3º mandato.
     Nas eleições de 1992 apoiou a candidatura de Roosevelt Brasil.


Após a prefeitura:
1992 - Inauguração do Posto de Saúde da Siderlândia.
     Em 1994 foi eleito deputado estadual.
     Em 1996 tentou voltar a prefeitura, tendo o ex-Pref. Moacyr Chiesse de vice, teve 25.937 votos e ficou em 2º lugar, perdeu para Inês Pandeló.
     Em 1998 no PPB foi reeleito deputado estadual com 25.637 votos.
     Em 2000 foi candidato a prefeito novamente, com o famoso jingle "Doutor Ismael, Vice Zé Abel...", teve 27.733 votos, ficou em 3º lugar, perdeu para Roosevelt Brasil.
Dr. Ismael ao lado de vários ex-prefeitos: Inês,
Roosevelt, Moacyr Chiesse na solenidade de
 início das obras de Readequação Ferroviária
Av. Joaquim Leite - 15/04/2010.
     Em 2002 no PMDB tentou a reeleição a deputado estadual, teve 12.066 votos e perdeu.
     Em 2004 no PDT disputou pela quarta vez a prefeitura - com o jingle: "A gente vota 12 é Ismael..." e o slogan: "Quem fez bem feito, merece voltar!". Desta vez seu vice foi Jair do Barão. Teve 2.631 votos, ficou em 4º lugar, perdeu outra vez para Roosevelt.
     Em 2008 foi candidato a vice-prefeito na chapa de Inês Pandeló, tiveram 23.062 votos, ficaram em 3º lugar e perderam para José Renato.
     Em 2010 candidatou-se a Deputado Federal, chegou a fazer campanha, mas teve a candidatura indeferida pela Justiça Eleitoral.
     Em 2012 apoiou a candidatura de Jonas Marins.
Marcell Castro e Ismael de Souza, em
30/07/2016 - Fazenda Bocaina, no
casamento da prima Larissa Rosa com
Rodrigo de Almeida.


Família:
     Filhos: Adriana, Geisa, Jacqueline, Danielle e Ismael Alves de Souza Filho.
     Sua filha mais nova - Danielle, candidatou-se a vereadora em nossa cidade, com 26 anos, no ano 2000 - teve 472 votos, e não se elegeu.

Homenagens:
     O Estádio do Barra Mansa F.C. na Colônia; a UBS da Vista Alegre; e a ETA do Parque da Cidade levam o seu nome.


2010 - Dr. Ismael e seu filho que também é
médico - Dr. Ismael. Foto José Marques
Diário do Vale
Atualidade:
     Não faz mais parte da direção do PDT de Barra Mansa.
     Continua a atuar como médico em Barra Mansa.

     Me recordo que foi para Dr. Ismael, a primeira campanha que pedi votos, em 1996, com meus poucos 8 anos, estudava na 1ª série do Verbo Divino. E usei seu adesivo, a pedido de uma amiga, na qual seu tio era amigo de Dr. Ismael.

     Já tive uma reunião política com Dr. Ismael, em seu consultório, por volta de 2011 ou 2012.
     É parente de Dona Rosaura, que casou com meu primo Dilanzinho.

ALDERANDO MARQUES
1988 - Interino

     Alderando Casali Marques, nasceu no distrito de Santa Izabel do Rio Preto - Valença, RJ, em 4 de março de 1937, depois morou em Conservatória.
2013- Marcell Castro e Alderando Casali Marques
ao lado do Palácio Barão de Guapy
     Veio para Barra Mansa em 1949, no ano seguinte ingressou na Cia Metalúrgica Barbará, onde exerceu diversos cargos. Foi também presidente da Associação Atlética Barbará - que tinha time de futebol profissional, e foi campeão estadual durante a sua gestão -, foi também presidente do Ilha Clube por seis anos.

Política:
     Foi vereador em nosso município, por duas legislaturas: 39ª: (1973 - 1977), e 41ª (1983 - 1989). Presidiu a Câmara de 1987 a 1988, nesse ano, o Prefeito Luiz Amaral teve de tomar licença algum tempo para tratamento de saúde, e o vice-prefeito - Dr. Oswaldo Porto, havia falecido durante o exercício do mandato. Alderando Casali Marques assumiu a prefeitura, e governou de 11 a 30 de maio, executou diversas ações.

Família:
     Filho de Rodolpho Casalli Marques (nome de rua no bairro São Pedro), e de Joana Casalli Marques; casou-se com Neuza Oliveira, e tiveram as filhas: Rosemeire e Gizelli Oliveira Marques.

Homenagem:
     A escola municipal do bairro Santa Isabel na região norte de Barra Mansa, tem o seu nome.

Atualidade:
     É empresário do ramo de festas, aluga o seu famoso sítio com regularidade para diversas comemorações.
     Por vezes conversamos, Alderando tem muitas histórias à contar.

ELMIRO COUTINHO
1982 - Interino
1982 - Palácio Barão de Guapy - Elmiro e o Prefeito Marcello Drable
     Político de renome, Elmiro Chiesse Coutinho nasceu em Barra Mansa em 27 de novembro de 1935.
1988 - Ex-Pref Moacyr Chiesse, Dep. Elmiro
Chiesse Coutinho e Pref. Luiz Amaral
     Foi vereador em nosso município por duas vezes nas legislaturas: 38ª: (1971 - 1973) e de 40ª (1977 - 1983). Em 1971 e em 1982 foi presidente da Câmara Municipal.
     Assumiu a prefeitura interinamente durante o final do segundo mandato do prefeito Marcello Drable.
     Deputado estadual pelo PMDB na 4ª legislatura após a unificação dos Estados do Rio e Guanabara de 1987 a 1991; foi o relator geral da Constituição Estadual de 1989.

     Em 1998 foi candidato à deputado estadual pelo PFL, teve 13.948 votos e não se elegeu.

Família:
     Filho do comerciante Argemiro de Paula Coutinho e de Dona Elvida Chiesse; neto do ex-vereador Major Nestor de Paula Coutinho e de Geovane Chiesse.
     Casou-se com Dona Eni Sellani Chiesse Coutinho.
     Seus irmãos: Nestor, Dirceu e Ruth também foram vereadores em Barra Mansa.

Homenagens:
     Nome de uma ponte de pedestres no bairro São Luiz, (Lei Municipal de 1981).
     Foi agraciado com o título de Cidadão Benemérito do Estado do Rio de Janeiro em 1990.

MARCELLO DRABLE
1977 - 1983
1967 - 1971
1968 - Marcello Drable e a Primeira-Dama Dona Dione Ignez
Chiesse Drable inauguram a escola municipal do bairro Cantagalo
Anúncio da
Internacional Caminhões
no Jornal Projeção
     Marcello Fonseca Drable (6 de dezembro de 1921  Barra Mansa, 29 de outubro de 2003).
Era de Resende, lá estudou o curso ginasial.
     Formou-se em piloto civil, e foi brevetado em 1942. Segundo sua filha "Ele tirou brevê pra ir pra guerra, mas não chegou a ir".
     Foi um dos fundadores, junto aos seus irmãos do Aero Clube de Resende.
     Marcello Drable vendia caminhões, e veio morar em Barra Mansa aos 25 anos, onde montou a agência da Internacional Caminhões - Drable e Filho Ltda. Em terreno adquirido do futuro sogro.
      Se casou com Dona Dione Ignez Chiesse, filha do líder político Humberto Quinto Chiesse. Seu sogro o projetou na política, e a sua primeira eleição foi a terceira ganha em seguida para prefeito, por um membro da família Chiesse.

Vida Pública:
1967 - Moacyr Chiesse passa o mandato 
à Marcello Drable.
     Em 1966, concorreu pela primeira vez a prefeito, e venceu ao Dr. Francisco Villela de Andrade Netto - filho do ex-prefeito Sr. Francy - último interventor de Barra Mansa.
     Governou Barra Mansa de  1967 - 1971, sucedeu ao primo de sua esposa - Moacyr Chiesse, e foi sucedido pelo prefeito Luiz Amaral, que fez um curto mandato de dois anos.
     Seu vice-prefeito foi o Sr. Olavo Marassi.

     Em 1972, concorreu pela segunda vez a prefeito, disputou a sucessão de Luiz Amaral, e perdeu para Féres Nader.

1968 - Radialista 'Tio Bené', Drable e seu 
sogro Humberto Quinto Chiesse, na 
inauguração da escola  que leva o nome
de Humberto na Boa Sorte
     De 1974 a 1976 foi deputado estadual.

     Em 1976 candidatou-se pela terceira vez a prefeito, e ganhou novamente, venceu aos candidatos: radialista Oscar Nora - apoiado por Féres Nader -, João de Barros e Silvio Salles. Sucedeu ao Dr. Feres Nader.
     Dessa vez seu vice foi o Dr. Sebastião José Ferreira Duque. Seu mandato começou em 1977 e iria até 1983, porém no final Elmiro Chiesse Coutinho, presidente da Câmara Municipal, governou interinamente. Elmiro foi candidato à prefeito nas eleições de seguintes de 1982.

     Em 1988 candidatou-se novamente, pela quarta vez a prefeito -, com o jovem Ricardo Maciel de vice, e ficou em segundo lugar, vencido por Dr. Ismael de Souza.

Pintura, na Galeria dos Prefeitos
do Palácio Barão de Guapy
     É considerado por muitos barramansenses como o melhor prefeito da história do município.

     Residia no bairro Estamparia, onde muitos da família Chiesse moram, herança do patriarca Giovanni Chiesse - avô de Dona Dione.
     Segundo Rodrigo Drable - neto de Marcello -, seu avô quando prefeito "construiu 62 escolas, valorizou o funcionalismo público, investiu em infra-estrutura - o que permitiu o desenvolvimento da cidade nos anos seguintes".
     O historiador Alan Carlos Rocha, afirmou: "Ele nunca passou a prefeitura em débito para os seus sucessores." (Jornal Diário do Vale).
     Também fundou diversas firmas comerciais em Barra Mansa e Resende, e foi um dos fundadores do Lions Clube de Resende e de Barra Mansa.
04/04/1970 - Marcello Drable, Comendador
Geraldo Ozório, e Aluízio Campos Costa - 

que alguns anos depois, foi Prefeito de VR. 
Inaguração da escola que leva
o nome do Comendador na Vila Coringa.

Família:
     Filho de Elias Drable e de Jahyra Fonseca Drable.
Seu pai imigrante, veio do Líbano, e sua mãe era do distrito barramansense de Amparo, vinda de uma família de muitos irmãos.
     Marcello Drable, foi neto materno do Major Antônio Ribeiro da Fonseca - que foi vereador em Barra Mansa por seis mandatos - nas legislaturas: 13ª (1877-1881), 17ª (1892-1895), 18ª (1895-1898), 19ª (1898-1901), 20ª (1901-1904) e 21ª (1904-1907).
     Quando Dona Jahyra e Sr. Elias se casaram, foram morar no Distrito Sede de Resende, onde nasceu o filho Marcello - que mais tarde trouxe os pais para morarem em Barra Mansa, no apartamento onde mora na atualidade o Prefeito Rodrigo Drable.

03/10/1970 - Distrito de Falcão - Marcello Drable
e Dona Dione Chiesse na inauguração da Praça
Idalk Cândido de Paiva.
     Marcello e Dona Dione foram pais de três filhos: Elias Drable Neto - médico gastroenterologista em Resende, já foi candidato a vereador em 2008 naquela cidade; Alexandre Drable, engenheiro, faleceu jovem - dá nome a estrada (RJ 157) que liga o bairro Macuco a divisa de Barra Mansa com Bananal; e Gláucia Drable Costa - professora, casada com Sérgio Costa que é filho do ex-prefeito de Volta Redonda, Aluízio Costa. Gláucia e Sérgio são pais: da Dra. Patrícia, e do Dr. Rodrigo - vereador de Barra Mansa por dois mandatos, e prefeito eleito em 2016.
     Marcello ainda teve um filho - André Luiz.

     Infelizmente não conheci Marcello, tinha 14 anos quando ele faleceu.
Rodrigo Drable e o avô Marcello
     Conheço boa parte de sua família, em especial a Rodrigo Drable, e sua viúva Dona Dione - que representa a elegância, simpatia, humildade, e bondade da mulher barramansense.

Homenagens:
     Entre as várias que recebeu, destacam-se o título de Cidadão Barramansense e a Medalha Barão de Ayuruoca - maior comenda do município.
     Também foi comendador da "Ordem do Mérito Educação e Integração".
     Levam seu nome: Barra Mansa - o principal colégio municipal do Ano Bom; e uma praça no bairro Água Comprida. Em Resende - A antiga Rua 22, no bairro Morada da Colina III.
     Em Amparo a escola municipal, leva o nome de sua mãe.

FÉRES NADER
1973 - 1977
1960 - Féres Nader assumi a presidência da União Barramansense dos Estudantes e
 é cumprimentado pelo Prefeito João Chiesse Filho
Leadro Chaves, Guilherme e Haroldo Cruz,
Féres Nader - fundadores do UBM

     O polêmico Féres Osrraia Nader nasceu em 11 de Março de 1930 em Bananal - SP, (quatro dias após Luiz Amaral).
     Veio à Barra Mansa aos 12 anos, e a sua história esta entre as mais empolgantes. O homem que construiu um império, de verdureiro à mega empresário, de líder estudantil à prefeito e deputado federal constituinte. Ao redor do seu nome há muitas histórias, muitas lendas.

Juventude:
     Trabalhou na Casa Flórida, depois foi examinador de linhas na Companhia Telefônica Brasileira, no Banco de Santa Catarina e no Banco do Brasil através de concurso em 1962. Foi onde começou a amizade com o Senador voltarredondense Vasconcellos Torres.
Pintura, na Galeria dos Prefeitos
do Palácio Barão de Guapy

     Foi líder estudantil, e presidente da União Barramansense dos Estudantes.
     Idealizou a Associação Barramansense de Ensino Superior - SOBEU, criada em 12 de Outubro de 1961, junto aos sócios: irmãos Haroldo Carvalho Cruz e Guilherme de Carvalho Cruz, Leandro Alvaro Chaves e o político e advogado Dr. Pedro Monteiro Chaves (pai de Leandro).
Somente em 1966 conseguem parecer favorável do Conselho Federal de Educação para o funcionamento da faculdade de Direito - a primeira no interior do estado do Rio.

     Em 1970 formou-se em Direito na sua própria faculdade, na turma de Luiz Amaral e do sócio Guilherme de Carvalho Cruz.
     Em 1972 liderando outros sócios adquire a Rádio Sul Fluminense AM, - que existia desde 1944 e foi a primeira do interior do Estado do Rio.
03/Out/1973 - Prefeito Féres Nader e Governador
do Estado do Rio de Janeiro - Raymundo Padilha

Eleições de 1972:
     Candidato pela ARENA, venceu aos candidatos do MDB: Marcello Drable, e ao Dr. Francisco Moreira Maciel - pai do Dr. Ricardo Maciel.
     Segundo Nader, visitou todas as casas de Barra Mansa, se valeu da popularidade da criação da faculdade.
Eleito, ele foi carregado por grande multidão do Centro até ao Ano Bom, onde morava na Rua Abdo Felipe.


Prefeito de Barra Mansa:
     Eleito prefeito, sucede a Luiz Amaral em 1973. Sua administração foi grandiosa, e ficou marcada por grandes obras de infra-estrutura: Construiu o Viaduto Alexandre Fisher na Estamparia - o primeiro a cruzar a linha férrea em Barra Mansa -, duas pontes (para veículos e pedestres) sobre o Rio Paraíba do Sul, terminou a ponte entre Saudade e Vila Nova (Flávio de Miranda Gonçalves), construiu e inaugurou a de Floriano a Quatis (Ponte Wanderlino Teixeira Leite), a qual ficou algum tempo sem utilidade, pois não havia ainda as cabeceiras e a estrada que ligava o Centro de Quatis a ponte.
1974 -Prefeito Féres Nader e Vereador Acílio
Barcelos de Camargo - Pres. da Câmara
E ainda iniciou a construção de um viaduto que teria início na entrada da Cotiara, e pilastras no atual hipermercado Bramil.
     Segundo o próprio Feres Nader, ele também criou o Pronto Socorro Municipal - que pois o nome do seu amigo senador -, e revolucionou o ensino ginasial de mil para 12 mil alunos.
     Dr. Nader em nossa entrevista, atribuiu o sucesso de suas conquistas ao Senador Vasconcellos Torres, que lhe abriu portas em Brasília; e que o orçamento da prefeitura, era bem diminuto.
Seu vice era o Dr. João Baptista de Barros. Em 1977 foi sucedido por Marcello Drable, (que chegou ao seu segundo mandato).

Eleições de 1982:
     Não havia reeleição seguida para o executivo, Dr. Feres teve de esperar e só pode concorrer novamente à prefeito de Barra Mansa em 1982, na sucessão do seu sucessor Marcello Drable.
     A chapa de Dr. Feres, tinha ao Dr. Francis Bullos de vice, eles foram vencidos por Luiz Amaral, que chegou ao seu segundo mandato, segundo Dr. Feres, devido a uma polêmica envolvendo alguns padres da cidade.

Dr. Féres em 06/04/1994 - Acervo - O Globo
Parlamentar:
     Em 1986 foi eleito deputado federal, nesse ano o empresário Denisar Arneiro também foi eleito, eles representaram Barra Mansa na Assembleia Nacional Constituinte de 1988. Segundo Nader, em nossa primeira entrevista, ele conquistou 119 emendas à Constituição Federal.

     Em 1990 no PTB candidatou-se novamente a deputado federal e ficou como suplente do deputado Fábio Raunheitti. Mesmo sem mandato foi cassado em 1994, resultado da CPI dos Anões do Orçamento, pois os deputados consideravam real a possibilidade de Nader assumir a vaga de Raunheitti, que também foi caçado.
Mantenedores do UBM: Féres, Haroldo,
Guilherme e Leandro.

Outros Cargos:
     Féres Nader também já foi do Conselho Administrativo de Defesa Econômica e Presidente da Associação dos Advogados do Estado do Rio.

Grande Empresário:
     Seus negócios empresarias prosperaram, a SOBEU tem sede própria desde 1967, novos cursos começaram: em 1969 - Administração, em 1971 - Filosofia, Ciências e Letras, em 1975 - Comunicação, em 1981 - Enfermagem. Em 1997 se transformou em UBM, em 2000 foi inaugurado o Campus Cicuta. Na atualidade a instituição oferece 24 cursos de graduação no Centro e na Cicuta.
     Até 2013 o Centro Universitário já havia formado mais de 26 mil graduados.
1972 - Dr. Féres e o radialista Paulo Miranda
(Blog do José Roberto Mendonça)
     O UBM desde 1981 também oferece a pós-graduação Lato-Sensu, e na atualidade tem 42 cursos espalhados pelos campi Centro e Cicuta em Barra Mansa e Jardim Botânico no Rio de Janeiro.

     Nas comunicações, se tornou um mega-empresário expandiu os negócios da Rádio Sul Fluminense AM, adquirida em 1972, junto aos sócios do UBM - Leandro, Haroldo e Guilherme Cruz; logo a transformaram no Sistema Sul Fluminense de Comunicação. Com os sócios, criou a TV Sul Fluminense que foi ao ar em 25 de julho de 1978, em 1979 o Sistema Sul Fluminense ganha a concessão de mais duas novas rádios, em 26 de outubro surgem as primeiras rádios FM em Barra Mansa e região - Sul Fluminense FM e Sociedade FM.
Em 1981 os sócios Leandro, Haroldo e Guilherme, venderam as suas participações nas rádios e na TV.
Em 1982 a TV Sul Fluminense faz a sua primeira transmissão ao vivo - O desfile cívico do Aniversário de Barra Mansa. Em 1983 é inaugurada a Rádio Cidade do Aço FM em Volta Redonda. Em 1986 o SSFC inaugura a Rádio Centro-Sul Fluminense em Vassouras, em 1988 a Califórnia FM em Barra do Piraí.
Dona Eny Nader e Dr. Féres Nader

     Em 2004 vende a TV Sul Fluminense para o Grupo da Editora Três, que depois repassa para a Rede Bandeirantes, que a rebatiza de TV Band Barra Mansa, e depois TV Band Rio Interior.
     Em 2005 vende a rádio de Vassouras, em 2012 vende a rádio Califórnia, e em 2015 vende as rádios Sul Fluminense AM e FM.

Família:
     Descendente de libaneses, filho de Iracema Leite Nader.
     Féres Nader casou-se com Eny Theodoro Nader, e tiverem quatro filhos: Carlos que seguiu os passos do pai na política, Thomas que o auxilia no ramo das comunicações, Junior Nader empresário e a Dra. Mariana Nader - dermatologista.
Dez. de 2009 - Inauguração da Árvore de Natal da
TV Band Barra Mansa - Féres Nader,
Pref. Zé Renato e Luiz Mury - sec. de cultura
Acervo: José Marques do Diário do Vale.
     Carlos Nader foi candidato a deputado federal em 1998, novamente em 2002, ficou como suplente e assumiu o mandato pela saída do titular, e novamente em 2006.
     Após o falecimento de Dona Eny em 2010, Dr. Féres casou-se novamente.
     Seu irmão Elias Nader foi prefeito de Bananal - SP.

     Seu irmão José Leite Nader foi deputado estadual algumas vezes, e chegou em 1991 à presidencia da ALERJ, tendo assumido interinamente por breve período, o governo do Estado do RJ. Seus filhos: José Nader Filho foi também deputado estadual. Guto Nader foi o vereador mais votado em nosso município na 45ª Legislatura (2001 - 2004); concorreu a prefeito em 2004 - perdeu para Roosevelt; voltou à Câmara Municipal na 47ª Legislatura (2009 - 2012). Paula Nader mulher de Guto foi candidata a vice-prefeita na chapa de Ademir Melo em 2008 e perderam para Zé Renato e Ruthinha; em 2012 foi candidata a vereadora e ficou na primeira suplência, atrás de Lia Preto.

     Fiz amizade com alguns Nader, entre eles David Nader, que estudou comigo, e Gabriel Nader - netos de José Leite Nader.
Dr. Feres Nader, recebe o Vereador Eleito de
Barra Mansa - Marcell Castro, em sua casa em
Bananal. Entrevista em 11/11/2016.

Homenagens:
     Nome de importante avenida no bairro Boa Sorte.
     Em 25/09/2014 foi agraciado pela Câmara dos Vereadores, com o maior galardão do Poder Legislativo barramansense - A Medalha Barão de Ayuruoca.
     Em seu discurso na tribuna, declarou emocionado: "Meu coração transborda de alegria. É uma noite especial para mim e minha família, por receber uma medalha que dignifica qualquer cidadão. Quero agradecer a todos por tudo".

Lendas:
25/09/2014 - Palácio Barão de Guapy - Dr. Féres
 Nader recebe a Comenda do Pres. da Câmara -
Marcelo Cabeleireiro. Ao fundo os famosos
expectadores: Luiz Amaral e Jonas Marins.
     Um conto muito popular entre os povos da redondeza, diz que na sua campanha, ou quando já era prefeito, Féres Nader prometeu trazer "um braço do mar pra Barra Mansa" - Segundo o próprio, ele nunca fez essa promessa, e isso foi invenção da oposição.
     Popularizou-se também, a história do 'filho ingrato', em que supostamente Dr. Feres conversou com um homem, e ao perguntar sobre o seu pai, e este homem ao dizer que o pai havia falecido, Dr, Feres teria dito "morreu pra você, mas ele esta vivo em meu coração!".
     Mas segundo a uma fonte próxima de Nader, são apenas mitos, invenções folclóricas.
     O conto dos relógios aos pobres também é bastante popular.

Atualidade:
      Féres Nader continua inscrito como advogado na OAB - RJ, um dos mantenedores do UBM e dono das rádios Sociedade FM e Cidade do Aço FM.
Viaduto Alexandre Fisher na Estamparia, uma das
grandes obras do governo Féres Nader.

16/01/2015 - Venda das Rádios Sul
Fluminense AM e FM - Thomás Nader,
Gothardo Lopes, Féres Nader e Dário de Paula.
Acervo - Diário do Vale.












Fontes: http://avozdacidade.com/site/noticias/gente-que-faz-historia/45158/
Blog dos Radialistas do Sul Fluminense - http://sulfluradialistas.blogspot.com.br/ e Dr. Haroldo Carvalho Cruz Júnior.

MOACYR CHIESSE
1963 - 1967
1966 - Pref. Moacyr Chiesse e Primeira Dama D. Alzira.
Pintura, na Galeria dos Prefeitos do 
Palácio Barão de Guapy
     Moacyr Arthur Chiesse (Barra Mansa, 22 de Abril de 1926 , Barra Mansa, 27 de Junho de 2010).
     Gostava de ser chamado de Professor Moacyr.

Juventude: 
     Estudou no extinto Grupo Escolar Fagundes Varella, depois no Colégio Verbo Divino. Em 1943 começou a trabalhar como aprendiz de mecânico na CSN. Prestou serviço militar no Tiro de Guerra de Barra Mansa. Transferiu-se para o Instituto Lafayette no Rio de Janeiro, trabalhou como auxiliar de disciplina e inspetor de alunos, mantendo assim os seus estudos.
     Em 1950 conheceu a professora e pedagoga Alzira Raggio da Silva; em 1951 bacharelou-se em Química; em 8 de Janeiro de 1955 casou-se com Alzira.

1962 - Passeata na Av. Joaquim Leite pela vitória
nas eleições de Moacyr Chiesse. a prefeito.
     Tem uma larga carreira de professor, lecionou e foi diretor em diversas escolas da região, em Barra Mansa, Volta Redonda, Quatis, Valença e Piraí. Foi presidente e secretário do Mobral - Movimento Brasileiro de Alfabetização de Barra Mansa e Volta Redonda.

Eleições de 1962:
     Especulou-se antes, que Leonísio Sócrates Baptista, seria candidato novamente a prefeito, porém isso não ocorreu.
     No pleito de 7 de outubro, foi eleito prefeito com 7.833 votos, venceu a: Vereador Oswaldo Porto de Floriano - 4.370 votos, Marino de Lima Rocha - 3.523 votos, Antônio Alves Amorim - 1.205 votos, Léo - 325 votos.
     N'estas eleições, o cargos de vice eram disputados em separado, e foi eleito o Dr. Adaucto Frizas.

Governo:
     Governou de 1º de fevereiro de 1963 a 31 de janeiro de 1967, sucedeu ao seu tio João Chiesse Filho, e foi sucedido pelo marido de sua prima - Marcello Drable.
Solenidade pelo Aniversário de
Barra Mansa em frente a Igreja
Matriz, a esquerda Padre
Alcino Camatta.
     Em sua gestão à frente da prefeitura, realizou diversas obras e benfeitorias marcantes no município, entre essas: A construção da elegante Praça das Nações Unidas no Ano Bom; da antiga Praça da Liberdade no Centro, da Praça Cecília Chiesse em Falcão; da Avenida Argemiro de Paula Coutinho, a beira-rio - um aterro, que liga a cabeceira da Ponte dos Arcos à foz do Rio Barra Mansa -; inaugurou serviço de água a vários bairros, incluso Ano Bom e Cotiara; levou iluminação à diversos bairros da cidade, calçou diversas ruas que antes eram de terra, incluso no distrito de Falcão.

Após a prefeitura:
     Foi também Deputado Federal de 1970 à 1974.
     Foi secretário de educação e cultura nas gestões de Elmiro Coutinho, Marcello Drable e Luiz Amaral.
     Na vida partidária, foi um dos fundadores do PTN e da ARENA - a qual também presidiu -, de Barra Mansa.
     Em 1992 foi candidato novamente a prefeito, tendo de vice o jovem radialista Sebastião Alves, da Rádio do Comércio, e ficou em terceiro lugar, atrás de José Valente e Luiz Amaral - que venceu pela terceira vez.
1965 - Caça à onça - Pref. Moacyr
Chiesse e Com. Geraldo Ozório
     Já em 1996 candidatou-se a vice, na chapa do ex-Pref. Dr. Ismael de Souza, e perderam para Inês Pandeló.
     Fez parte das agremiações: Lions Clube, Rotary Clube, Barra Mansa Futebol Clube, Grêmio Barramansense de Letras, e Academia Barramansense de História, a qual ocupava a cadeira nº 14.

     Conheci Moacyr Chiesse e conversei com ele algumas vezes, me recordo de um evento da candidatura de José Renato em 2008, no Palácio Barão de Guapy, a qual, ele foi convidado por Roosevelt Brasil a tomar lugar de destaque, creio que fazia parte do PMDB à época.


Família: 
     Filho de Arthur Chiesse e de Iracema Pamplona Chiesse, neto paterno de Giovanni Chiesse e Cecília Parussolo Chiesse.
Dezembro de 2009 - Moacyr Chiesse e Dona
Alzira Chiesse, na inauguração da nova Escola
Iracema Pamplona Chiesse no Ano Bom.
Teve quatro filhos: (Terezinha, Rita, Iracema e Marco - o popular Marquinho Chiesse) -, sete netos: (Rafael, Gabriela, Hugo, Maitê, Laiz, Tatiana e Carolina), e sete bisnetos: (Maria Clara, Maria Luiza, Amanda, Arthur, Felipe, Maria Tereza e Malu), os três últimos não chegou a conhecer.

     Marquinho Chiesse, enveredou pela política, e foi candidato à vereador em 2000, teve 918 votos e ficou na suplência. Durante os governos dos prefeitos Roosevelt, e Zé Renato, esteve à frente de altos cargos, incluso a Secretaria de Meio Ambiente, e na atualidade é assessor do vereador Paulo Chuchu.

Homenagens:
     Nome da escola municipal no bairro Macuco; de uma das ruas do bairro Santa Maria I; e de uma praça no bairro Boa Sorte.

Fontes:
http://www.avozdacidade.com/ipad/page/artigos_interna.asp?cod=3344&categoria=9
http://www.diariodovale.com.br/noticias/0,23761,Morre-o-ex-prefeito-de-BM-Moacyr-Chiesse.html#mais
Jornais Memória Barramansense
Jornal Projeção.

JOSÉ FONTES TORRES
1962 - Interino
Pintura, na Galeria dos Prefeitos do Palácio Barão de Guapy
     José Fontes Torres em 1947 candidatou-se à prefeito de Barra Mansa, e ficou em terceiro lugar, foi vencido por Flávio de Miranda Gonçalves.
     Na segunda gestão do Prefeito João Chiesse Filho - de 1959 a 1963 -, foi  vice-prefeito de Barra Mansa.
     Em 1962 assumiu interinamente a prefeitura.

JOÃO CHIESSE FILHO
1959 - 1963
1951 - 1955
João Chiesse Filho, esposa Dona Zulma, e
filhos do casal. Acervo - Jane Chiesse Zandonadi

1959 - Visita da taça Jules Rimet à Barra Mansa. O Prefeito João Chiesse Filho, segura a taça conquistada
pelo Brasil na Copa do Mundo -, com a Primeira Dama Dona Zulma Moreira Chiesse
O jovem João Chiesse Filho
Acervo - Jane Chiesse.
     João Chiesse Filho (Bananal-SP, 18 de julho de 1910  Estamparia, Barra Mansa, 24 de setembro de 1986).
     Primeiro da família Chiesse a governar o município. Veio criança com sua família para Barra Mansa em 1914, no início da I Guerra Mundial.
     Seu pai italiano, tinha a intenção de viajar de volta à Itália.

Juventude:
     João, aprendeu a ler no Grupo Escolar Fagundes Varella - que funcionava na Praça Ponce de Leon, onde hoje é o Banco Itaú.
     Seu pai faleceu, quando João tinha 13 ou 14 anos, e então ele foi trabalhar. Tinha aptidão para o desenho, e arrumou emprego na Estamparia - onde é hoje a Light, no bairro de mesmo nome -, como desenhista, e ficou trabalhando lá por uns 10 anos.
     Depois, exerceu, amadoramente, a função de 'arquiteto', e desenhou diversas plantas de construções em Barra Mansa.
30 de abril de 1941 - Aniversário
da Sra. Cecília Chiesse.
     Era amigo de Cristóvão Leal, Elias e Samuel Bondarowsky, e segundo João, ele era o líder da rapaziada, e organizava bailes, e frequentava outros nos distritos de Barra Mansa.

     Conheceu a jovem Zulma - com quem posteriormente se casou -, em uma noite, quando passava perto do Hotel Careca, onde o pai d'ela morava, e ficou a apreciar debruçado na janela, ela tocar piano, e o seu pai - violino, e quando a música terminou, João aplaudiu. Em seguida na conversa com o futuro sogro, João elogiou a música; e o pai de Zulma disse-lhe que estava na cidade há pouco tempo e não conhecia ninguém; João o convidou para um baile que estava a organizar no antigo Cassino Barra Mansa, e pediu para levar a filha d'ele. Desse baile em diante começou o namoro de quatro anos.
30 de abril de 1941 - Aniversário 
da Sra. Cecília Chiesse.

     Depois, João foi convidado a trabalhar como desenhista em uma estamparia de São João d'El Rey-MG, e apesar de ganhar bem lá, após, por volta de um ano, voltou à Barra Mansa, mas nesse meio termo o seu sogro foi também, transferido para lá, João e Zulma já estavam noivos, e ele voltou a São João d'El Rey-MG para se casar.
     A boda realizou-se em 18 de julho de 1939.

Ingresso na Política, os primeiros anos:
     Foi convidado a candidatar-se pelos senhores: Alvaro Guedes, Léo Dias e Omar Villela, ingressou no PTB.
Pintura, na Galeria dos Prefeitos do 
Palácio Barão de Guapy
     Em 1947 disputou as eleições à prefeito contra Flávio de Miranda Gonçalves - candidato da Coligação Democrática, e ficou em segundo lugar, conquistando 2.957 votos, contra 3.250 de Flávio.

     Nas eleição seguinte em 1950, foi eleito prefeito, venceu a: Sávio Cotta de Almeida Gama, e Dr. Leoncio Silvado.

Primeiro Mandato de Prefeito:
          Governou de 31 de janeiro de 1951 a 1955, sucedeu a Flávio de Miranda Gonçalves. Não havia o cargo de vice-prefeito.

     Quando assumiu pela primeira vez à Prefeitura em 1951, infelizmente os distúrbios e a politicagem já haviam se instalado no oitavo distrito barramansense - Volta Redonda, e no ano seguinte, lá foi criado o Centro Cívico Pró Emancipação.
1951 - Pref. João Chiesse Filho de óculos
escuros, recebe o Pres. Getúlio Vargas e João Go-
ulart em Volta Redonda, distrito barramansense.

     Merece destaque a integridade de João Chiesse à frente da administração municipal, que realizou diversas obras em Volta Redonda, mesmo assim, vereadores de Barra Mansa que moravam em Volta Redonda, fazendeiros e homens de negócios daquela povoação - que muito cresceu com a fundação da CSN em 09/04/1941, e sua inauguração em 1947 -, persistiram no intento de espoliar nossa bem amada Barra Mansa, com a segregação do nosso oitavo distrito.

     As fotografias do período, comprovam: na sua administração foram pavimentadas com paralelepípedos às avenidas Paulo de Frontin no Aterrado, e Amaral Peixoto, próximo ao bairro São João, e a praça Aprígio Cravo no bairro Niterói.
1952 - Inauguração do Posto Monte Cristo:
João Chiesse, sua esposa Zulma
(abastecendo o carro).

     João Chiesse Filho foi também grande benfeitor da Associação Atlética Comercial, tendo doado o terreno a agremiação, onde hoje esta instalado o Clube, no lugar seria instalado um cemitério, João Chiesse impediu isto.

     Também fez doação de 6 mil m² para a construção da União Hospitalar Gratuita, a UHG - atual Hospital São João Baptista; e tem a sua mão, a aquisição do terreno, onde hoje está instalada o Palácio 17 de Julho - Paço Municipal de Volta Redonda.

     O primeiro prefeito de Volta Redonda, foi o emancipador - Sávio Cotta de Almeida Gama, ao qual foi vencido por João Chiesse na eleição de prefeito de Barra Mansa, do ano de 1950.
31/05/1952 - Colocação do 1º Paralelepípedo na
Av. Amaral Peixoto em Volta Redonda.

     João foi sucedido na prefeitura por Leonísio Sócrates Baptista em 1955.

Eleições de 1954:
     No ano da fatídica emancipação de Volta Redonda, concorreu nas eleições gerais, ao cargo de deputado estadual, do antigo Estado do Rio de Janeiro, ficou na suplência, e parece que chegou à assumir o cargo.

Eleições de 1958:
31/05/1952 - Colocação do 1º Paralelepípedo na
Av. Amaral Peixoto em Volta Redonda
     Estava em viagem de passeio à Europa, acompanhado de Dona Zulma, e de alguns amigos de Barra Mansa, e recebeu uma carta, que o informou que em Barra Mansa, haviam feito uma reunião, e que o colocaram como candidato, na sucessão de Leonísio. Ele chegou ao Rio de Janeiro em 16 de julho, e foi barrado, pois a chegada dele à Barra Mansa estava marcada para o dia seguinte, João então, dormiu no Rio de Janeiro, e de volta a Barra Mansa no dia 17, foi recebido com festa, em praça pública, com grande manifestação, em uma espécie de comício.

         1954 - Inauguração do calçamento da Av. Amaral 
        Peixoto VR - Wilson de Paiva, A. Peixoto, Rob.
 Silveira, João Chiesse e Dirceu Coutinho.
Segundo Mandato de Prefeito:
     Em seu segundo mandato de 1959 a 1963, sucedeu Leonísio Sócrates Baptista. Seu vice-prefeito foi o Dr. José Fontes Torres.

     Em 1960: Fevereiro: prosseguiu a abertura de trecho da Av. Dário Aragão - da Rua Cícero Cunha, em direção ao Centro da cidade.
     Promoveu as comemorações em Barra Mansa, pela transferência da capital federal para Brasília.
     Em 8 de maio, o candidato a presidente do Brasil - Jânio Quadros, em passagem por Barra Mansa, visita a casa do Prefeito João Chiesse.
João Chiesse Filho na solenidade de colocação
do primeiro paralelepípedo da Av. Paulo de
Frontin em Volta Redonda, que ainda pertencia
a Barra Mansa.

      Realizou o calçamento da Praça das Nações, prosseguiu as obras rumo a abertura da Av. Presidente Kennedy, ligando Barra Mansa à Volta Redonda, pela margem norte do Rio Paraíba do Sul; realizou a substituição do encanamento de abastecimento d'água da Rua Eduardo Junqueira; realizou  o manilhamento, rede de esgoto, do novo bairro - Vila Independência; realizou a construção do Grupo Escolar Dona Ismélia Saad Silveira na Cotiara; calçamento da Rua Luiz Ponce; da abertura da Rua Eduardo Rangel, ligando os bairros Verbo Divino e Cotiara; e a construção da Avenida Presidente Vargas - Beira Rio no Centro da cidade.

07/05/1960 - Inauguração da Confeitaria Polar
João Chiesse, Dona Zulma, e
Pedro Monteiro Chaves.
     Em 1962 demoliu a antiga cadeia, que ficava na Av. Joaquim Leite, com a transferência da Delegacia de Polícia. Em seu lugar foi construída a Praça da Liberdade - na gestão de seu sobrinho Moacyr. Mais tarde em 2004 a praça foi totalmente reformada por Roosevelt Brasil.
     João foi sucedido pelo seu sobrinho Moacyr Chiesse em 1963.

     Ainda em 1962, no jornal Projeção, após as eleições, foi anunciado que João Chiesse queria voltar a prefeitura, e disputar as eleições de 1966, a sucessão de seu sobrinho Moacyr Chiesse, para um terceiro mandato.

Últimos anos:
Castelo construído por João Chiesse na
Estamparia.
     Em 1970, finalmente realiza o seu sonho, e se muda para o castelo que construiu no bairro Estamparia, cuja construção iniciou-se em 1945. A obra estava começando, quando ele foi eleito pela primeira vez, e só foi reiniciada após a 'segunda campanha'. Em 1979, ainda não estava totalmente pronta.

     Faleceu em sua casa, com 76 anos de idade, as cerimonias de seu passamento, contaram com um grande cortejo, e seu corpo foi conduzido por carro especial do corpo de bombeiros, e passou por algumas ruas do Centro, e foi inumado ao som do hino à Barra Mansa, tocado em uma fita, de uma viatura da prefeitura. Sua sobrinha, a professora Maria de Lourdes Chiesse, discursou, e fez um relato biográfico.
João Chiesse Filho em discurso.

Família:
     Filho de Giovanni Batistta Chies e Dona Cecília Parussolo.
     Seu pai - filho de Domenico Chies e Angela d'Alloto -, nasceu em San Pietro di Felleto na Itália em 14/08/1862; imigrou para o Chile, com a primeira esposa - Luzia ou Lucia Falquine, trazendo também uma filha - Palmira, e no Chile nasceu o filho Arthur.
     Giovanni Chies, logo depois em 1891 ou 1892 chegou ao Brasil, primeiro a São Paulo, depois ao Rio de Janeiro, onde Arthur faleceu com 11 meses de idade.
     Sua primeira esposa faleceu.
Abdo Felipe na inauguração da rua
que leva seu nome -. ao lado
do Pref. João Chiesse Filh
     Depois Giovanni foi habitar em Bananal - SP, trazendo a filha Palmira, lá se casou novamente em 01/10/1892 com Cecília Parussolo - que também nasceu na região do Vêneto na Itália. Foram proprietários da Fazenda Bom Retiro e tiveram os filhos: Arthur (o segundo), Elvida, Albo, Humberto, Augusta, Luzia e João.
     Palmira casou-se e foi morar em São Paulo, teve dois filhos.

     Conta-se que por motivos ligados a disputas territoriais em Bananal, o velho Chiesse, mudou-se a Barra Mansa, em 1914, morou na Rua São Sebastião, depois na Rua José Cardoso Guimarães Cotia, e depois comprou a chácara do Senhor Marturano, e foi dono de boa parte da Estamparia, que foi loteada para os seus muitos descendentes. Em Barra Mansa nasceram mais dois filhos: Antônio e José Luiz.
     Geovanni tornou-se proprietário de um armazém na Praça Ponce de Leon, onde vendia diversas coisas, entre estas a famosa manteiga "da Fazenda Suissa Brazileira". Faleceu em 1924.
Desenho da década de 1960
- Jornal Projeção.

     O nome Chiesse é genuíno de Bananal e Barra Mansa, pois originou-se de um erro do escrivão do cartório - o original era 'Chies' -, a família Chiesse é uma das mais relevantes e creio eu a mais numerosa de nosso município, desde a sua vinda à Barra Mansa se destacaram nos negócios, na política, no ensino, nas artes, advocacia etc.
     Dos filhos de Giovanni: Arthur, Elvida, Albo, Humberto e João são nomes de ruas, e escolas.
     Dona Elvida Chiesse casou-se com Argemiro de Paula Coutinho e tiveram 12 filhos: entre eles: Ruth (1ª vereadora de Barra Mansa, mãe da Ruthinha), Elmiro, Dirceu e Nestor, que também foram vereadores.
     'João', é a tradução em português de Giovanni, por isso chamou-se - João Chiesse Filho, o filho de Giovanni Chiesse.

1962 - Demolição da Cadeia Pública de Barra
Mansa, que deu lugar a Praça da Liberdade
     Casou-se com a professora Dona Zulma Moreira Chiesse, e tiveram três filhos: a professora e artista Jane Chiesse Zandonade, o economista e fotografo Jesse Chiesse, e o advogado João Chiesse Neto - falecido antes de seu pai.

     Conheço Jesse Chiesse, filho de João Chiesse. E desde a infância convivo com muitos membros da numerosa família Chiesse, que habita em Barra Mansa desde 1914.


Homenagens:
Geovanni Chiesse e Cecília Parussolo
     Ganharam o nome de João Chiesse Filho: A avenida continuação da Av. José Marcellino de Camargo - entre o viaduto da prefeitura e a 90ª DP - no bairro Jardim Boa Vista. E uma rua no bairro São Benedito em Quatis.

Fontes: Ruthinha Coutinho, Marco Antônio Chiesse Coutinho e sua filha Dra. Chistiane Chiesse.
        Jornais Projeção de Juarez Modesto, em especial, entrevista de João Chiesse Filho a este jornalista em 1979, e publicada na edição de 20 de junho de 1984.



LEONÍSIO SÓCRATES BAPTISTA
1955 - 1959
03/10/1956 - 124º Aniversário de Barra Mansa - Prefeito Leonísio (de óculos escuros),
e ex-prefeito Isimbardo Peixoto (de terno branco), visitam as obras da Ponte dos Arcos
Pintura, na Galeria dos Prefeitos
do Palácio Barão de Guapy
    Nasceu em 7 de Novembro de 1919, na Tijuca, Rio de Janeiro.
     Com um ano foi morar em São Paulo, depois voltou para o Rio de Janeiro, e morou na Vila Militar.
 Em 1947, depois de se formar engenheiro civil, veio para Barra Mansa, em março do mesmo ano, para chefiar a 5ª Residência do Departamento de Estradas e Rodagens, cargo que ocupou até 1955. Neste ano foi eleito prefeito do nosso município, vencendo na disputa, ao Dr. José Maria de Melo Costa da Aliança Liberal.

Governo:
     Sucedeu a João Chiesse Filho, e foi o primeiro prefeito eleito após a fatídica emancipação de Volta Redonda.
     Seu vice-prefeito foi o Dr. Luís Gonzaga Balbi, o primeiro da história da cidade.

15/10/1957 - Comemoração do centenário de
elevação de Barra Mansa de vila à cidade.
     Logo no início de seu mandato, uma grande arbitrariedade ocorreu, por força de uma lei estadual de 5 de Abril de 1955, a divisa entre o município de Barra Mansa, e o novo município de Volta Redonda foi alterada na margem sul do Rio Paraíba: Do Córrego Brandão para o Córrego Ponte Alta, e com isto foi feito um recorte na Usina Presidente Vargas da CSN. Volta Redonda anexou além da CSN, os bairros ao redor: Ponte Alta, Conforto, Bela Vista, Rústico, Eucaliptal, Jardim Brasil, São Lucas, Vila Santa Cecília, e parte dos bairros: Sessenta, Minerlândia, e Santa Inês.
     A prefeitura e a câmara de Barra Mansa, recorreram na justiça;
   
15/10/1957 - Prefeito Leonísio em um banquete.
     Inaugurou em 03/10/1956, o trânsito na famosa Rua Dr. Mário Ramos, aberta onde era a antiga chácara do homenageado, que faleceu em 1951.

     A famosa Ponte dos Arcos, uma antiga luta do deputado Ataulpho Pinto dos Reis, foi construída e inaugurada em 1º de Maio de 1958, durante a gestão de Leonísio.
A construção foi paga pelo Estado, que tinha como governador Miguel Couto.

Visita de Juscelino Kubitschek à Barra Mansa:
Alguns na foto são: Humberto Quinto Chiesse,
Álvaro Millen, Ataulpho Pinto dos Reis,
Pref. Leonísio e Juscelino.
     Também deu início em 1955 a construção de uma ponte entre Saudade, e Vila Nova, porém logo após a colocação do madeiramento para escora das colunas, houve uma grande enchente no Rio Paraíba do Sul, levou as madeiras da ponte. Que só foi construída mais tarde no governo Féres Nader.

Após a prefeitura:
     Foi sucedido em 1959 por João Chiesse Filho; nesse ano foi eleito deputado estadual, depois foi reeleito em 1962 e novamente em 1966. 
     Também foi presidente da Companhia de Águas e Engenharia Sanitária do Estado em 1962, quando licenciou-se do cargo de deputado.
1960 - Jânio Quadros em comício na Praça
Ponce de Leon com Pedro Monteiro Chaves e
o dep. Leonísio Sócratres Baptista
     Foi cotado para disputar novamente às eleições à prefeito de Barra Mansa, em 1962, porém acabou por ser candidato à reeleição de deputado estadual, logrou êxito.
     Em 1971, afastou-se da vida pública. Retornou à profissão de engenheiro.

Família:
     Casou-se em Julho de 1947 com Dona Aldahir Cerqueira Caldas Baptista e tiveram dois filhos: Jorge Carlos, nascido em Barra Mansa e Tília Maria, nascida no Rio de Janeiro; 
     Tília é pedagoga, e casou-se com o renomado médico otorrinolaringologista Dr. Jair de Carvalho e Castro - que possui uma clínica em Ipanema -, são pais de Raphael - advogado, e Pedro - estudante de medicina.

Homenagens:
     Foi agraciado pela Câmara de Barra Mansa com o título de Cidadão Barramansense, e em 1987 com a Medalha do Mérito Barão de Ayuruoca (comenda maior do município).
     Levam seu nome: Avenida do bairro Boa Sorte, e a escola municipal do bairro Roberto Silveira.

Fontes: Relatos de seu filho - Jorge Carlos Baptista.
Livro dos Patronos das Escolas Municipais de Barra Mansa.
Ponte dos Arcos - fonte: Jornal Memória Barramansense nº 15


DIRCEU CHIESSE COUTINHO
1952 - Interino
Década de 1950 - Dirceu Chiesse Coutinho com o microfone, ao lado do Prefeito
Leonísio Socrates Baptista (de óculos). Inauguração do primitivo asfalto da Av. Homero Leite em Saudade.
Governador Roberto Silveira e
Dirceu Chiesse Coutinho
     Filho do comerciante Argemiro de Paulo Coutinho e de Dona Elvida Chiesse; neto de Giovanni Chiesse e do Major Nestor de Paula Coutinho - vereador em Barra Mansa de 1907 à 1910.


     Dirceu foi vereador na 33ª Legislatura de 1951 a 1955, e presidente da Câmara em 1952. Por isso assumiu interinamente o cargo de prefeito, durante o mandato de seu tio João Chiesse Filho.


     Quando foi vereador, lutou e votou contra a emancipação de Volta Redonda.


Família:
Pintura, na Galeria dos Prefeitos
do Palácio Barão de Guapy
     Dirceu casou-se com Dona Orozimba de Camargo, e tiveram cinco filhos: Entre eles Sônia, Heloísa, Dirceu Camargo Coutinho e Jaime Coutinho.
     Sua filha Sônia Maria de Camargo Coutinho Parreira, foi vereadora em Barra Mansa por quatro mandatos consecutivos de 1996 à 2012, e a partir de 2013 tornou-se chefe de gabinete do seu primo, vereador Rodrigo Drable.

     Conheço seus filhos Sônia e Jaime da política, sou amigo e já estudei com sua neta Alice Coutinho.

Homenagens:
    Uma escola em Barra Mansa, ganhou o seu nome, porém, teve a denominação alterada, para homenagear outra pessoa, sendo vivo Dirceu. Isto o entristeceu, segundo conta a sua filha Sonia.


FLÁVIO DE MIRANDA GONÇALVES
1947 - 1951
Flávio de Miranda Gonçalves e Leonísio Sócrates Baptista
Pintura, na Galeria dos Prefeitos
do Palácio Barão de Guapy
     (Barra Mansa, 3 de abril de 1903 — Barra Mansa, 23 de novembro de 1969).
     Flávio de Miranda Gonçalves foi um grande barramansense, e marcou a história do nosso muito amado município. Foi o primeiro presidente da Associação Comercial e Industrial em 1933, e foi reeleito em 1936 - durante a sua gestão, fez a primeira manifestação da ACIAP contra a ferrovia, enviou um documento a Central do Brasil, solicitando a construção de uma passagem subterrânea.
   
     Também em 1936 foi vereador - na 31ª Legislatura de Barra Mansa -, porém em 30 de março de 1937, deixou o cargo, e o suplente Orlando Brandão assumiu a sua vaga. Neste mesmo ano, Getúlio Vargas fechou o congresso nacional e dissolveu as câmaras municipais do Brasil.
     Demorou, e só em 1947 voltaram às eleições. Barra Mansa ficou dez anos sem vereadores, e com prefeitos-interventores.
     Flávio foi eleito prefeito em 28 de Setembro de 1947 com 3.250 votos, contra 2.957 votos de João Chiesse Filho e 2.329 votos de José Fontes Torres.
1949 - Corpo da Gurda Municipal de BM.
Recriado pelo Prefeito Flávio em 1947.

Governo:
     Sucedeu ao interventor Francisco Junqueira Villela de Andrade. Desde a revolução de 1930 que levou Getúlio ao poder, Barra Mansa não elegia prefeitos, tinha interventores.
     Seu mandato foi de 11 de outubro de 1947 a 31 de janeiro de 1951.
     Sua administração foi proveitosa: Reformou o Parque Centenário (o popular - Jardim das Preguiças);
     Realizou diversas obras no distrito de Volta Redonda - que na época estava a crescer vertiginosamente com a inauguração da CSN;
     Construiu a escola municipal do distrito de Ribeirão de São Joaquim.
     Recriou a Guarda Municipal em caráter definitivo, e "transformou Barra Mansa em um grande canteiro de obras. Isso, em uma época na qual as prefeituras funcionavam com recursos próprios.
Abril de 1950 - Pref. Flávio de terno branco
 em  Congresso de Comerciantes -
Palácio Barão de Guapy
     Durante seu mandato a multinacional Dupont se instalou no município em 1949 e foi construído e inaugurado o Grupo Escolar Barão de Ayuruoca."
     Segundo o historiador Franco Faria, durante o seu governo, Flávio desapropriou a sede da Fazenda Ano Bom, e ao seu redor 1 alqueire de terras, com o propósito que nunca realizou-se, de para ali transferir a Santa Casa de Misericórdia.
     Foi sucedido pelo Prefeito João Chiesse Filho.

     Foi proprietário da Padaria São José, que antes era de seu pai na Avenida Joaquim Leite. Posteriormente no lugar deste comércio funcionou por vários anos a famosa papelaria - Casa Aurora, e na atualidade é o Ponto Frio, ao lado do Shop House.
     Residia com a família em cima da padaria, onde hoje é a Academia Corpo e Cia.

     Após a vida pública, Flávio foi gerente e diretor do Banco da Barra do Piraí, filial Barra Mansa.

Família:
31/01/1951 - Pref. Flávio ao lado de Dário
Aragão e Pedro monteiro Chaves inaugura
 o Grupo Escolar Barão de Ayuruoca
     Filho do Capitão Berholino Joaquim Gonçalves e de Dona Etelvina Miranda Gonçalves. Seu pai foi vereador por dois mandatos de 1919 à 1923 (26ª e 27ª legislaturas), e também prefeito, de 1930 a 1931.
     Casou-se com Dona Sylvia Moraes Gonçalves em 22 de junho de 1925, e tiveram dois filhos: o médico José Moraes Gonçalves, e Elenice Moraes Gonçalves.
     Dr. José Moraes Gonçalves casou-se com Jairinete e teve quatro filhos: Denise, Dayse, Doris e Diane; e os netos: José, Pedro, Iana, Gabriel, Flávio, Juliana e Frederico.
     Dona Elenice, casou-se com Sr. Naylo de Souza, e teve aos filhos: Flávia, André e Silvia; e os netos: Thiago, Paula, Gustavo, Andrea, Roberta e Marcella.
     Seus descendentes não seguiram na política.

Flévio de Miranda Gonçalves com a esposa -
Dona Sylvia Moraes Gonçalves -
Acervo: Dona Elenice Gonçalves Souza.
     Sou amigo dos bisnetos do Pref. Flávio: Gustavo, Andréa Ramos de Souza e Marcella Barbosa. Estudei com Marcella e Andréa no Verbo Divino.
     Gustavo, médico veterinário é um conhecido agropecuarista da região, e Andréa farmacêutica promissora.

Homenagens:
     Tem seu nome a antiga rua 2 no bairro Roberto Silveira; e a ponte Saudade - Vila Nova, construída e inaugurada no governo Féres Nader.

Referências Bibliográficas: Jornal Memória Barramansense nº 16 da ABH. Revista - O Líder da ACIAP.
Colaboração: Gustavo Souza e Dona Elenice Gonçalves Souza. (bisneto, e filha do Prefeito Flávio).

FRANCISCO JUNQUEIRA VILLELA DE ANDRADE
1947
03/10/1947 - Inauguração do Ed. São Luiz - Pref. Francisco Junqueira Villela de branco, ao seu lado direito a grande personalidade de Barra Mansa - Com. Geraldo Ozório, dono do prédio. Na foto também Dário Aragão.
     Senhor Francy Villela,  foi o último prefeito-interventor de Barra Mansa. A sua gestão ocorreu durante o governo do presidente do Brasil - Eurico Gaspar Dutra.

Francisco Junqueira VIllela
Foto da Galeria dos Ex-Presidentes
do Rotary Clube de Barra Mansa.
Montada pelo Sr.Ricardo Machado.
Prefeito de Barra Mansa:
     Seu breve governo foi de 23 de março a 11 de outubro de 1947. Sucedeu ao prefeito-interventor José Cardoso Guimarães Cotia, e foi sucedido pelo prefeito eleito Flávio de Miranda Gonçalves.

     Inaugurou em 03/10/1947 o Edifício São Luiz - prédio onde na atualidade fica a Galeria das Flores, a Rádio do Comércio e o Salão da Zezé.

     O prédio luxuoso e alto para a época, era de propriedade do grande empresário Comendador Geraldo Ozório - que mais tarde em 1966 realizou permuta com Dona Jardelina Coutinho Carvalho, do edifício pelo terreno e casa que eram dela, e em 1971 deu lugar a construção da atual rodoviária.

Rotary Clube:
     Foi presidente do Rotary Clube de Barra Mansa de 1946 a 1947, e muitos anos depois, de 1983 a 1984.

Empreendedor:
Prefeito Francisco ao centro de terno
branco, cortando a fita da inauguração
 do Ed. São Luiz, ao lado do Comendador.
     Sr. Francy, é um nome famoso em nossa história, devido a vários fatos, entre eles a criação de bairros importantes de nossa cidade.
     A partir da década de 1940, junto ao seu irmão - Dary Villela de Andrade, constituíram a firma: Junqueira Villela Ltda. Adquiriram a Fazenda Ano Bom, de um parente próximo, e lá colocou gado de qualidade. Quatro anos depois, Dary vendeu a sua parte de 25 alqueires a Orlando Brandão, que iniciou o loteamento, que hoje é o bairro Vila Orlandélia.
     Francy Villela com seu espírito empreendedor e com o que restava da fazenda, iniciou em 1945 o primeiro loteamento dos muitos que realizaria naquelas terras. Seu primeiro empreendimento que hoje constitui o bairro Ano Bom se tornou antieconômico pelos grandes gastos efetuados e com efeito teve de realizar muitos aterros junto ao Paraíba e numa época em que as máquinas de terraplanagem ainda não eram tão potentes. Em 1968 Francy Villela vendeu parte do terreno a Melquiades Sverberi que associado a Odilon Resende Barbosa e Guido Severi lotearam e constituíram o atual bairro Santa Rosa. (Franco Faria na coluna da história da Fazenda Ano Bom, Jornal Projeção - década de 1980).
     Também estão ligados a desmembramentos de terras do Sr. Francy, loteamentos que deram origem aos bairros: São Francisco de Assis, Santa Rosa, Cima Rosa, Residencial Cristo Redentor, e Panorama (onde situam-se as torres retransmissoras de televisão).
     Franco Faria, ainda escreveu que o sonho de Sr. Francy, era fazer da sede da Fazenda Ano Bom, um museu. A sede foi uma escola municipal, e depois transformou-se em ruínas que serviam de abrigo a marginais. O Prefeito João Chiesse Filho a demoliu.
Marca famosa em toda a região.

     Foi um dos fundadores, junto com o pai - Nhô Chico, o parente Gabriel Antônio, e outros 42 fazendeiros, da Cooperativa Agro-Pecuária Barra Mansa, em 26 de fevereiro de 1940, hoje famosa regionalmente por produzir o famoso - Leite Barra Mansa, a Manteiga Barra Mansa, e outros produtos lácteos.
     Sr. Francy foi o primeiro diretor comercial da cooperativa.

Família:
     Os Villela de Andrade, são uma das ilustres famílias de nosso município, se destacaram como políticos, empresários e beneméritos.
     Há três ou quatro Francisco Villela's na história de Barra Mansa.
     Francisco Villela de Andrade 'Nhô Chico' - foi vereador em Barra Mansa nas legislaturas: 27ª (1922 - 1923), 28ª (1924 - 1927), n'esta última foi presidente da Câmara. É pai de:
     Dary, Manoel de Sá Junqueira de Andrade 'Nelito', Dr. Nelson - dentista -, João Baptista, José Eduardo - falecido em um desastre de avião -, e Francisco Junqueira Villela de Andrade, o Sr. Francy.
     O Prefeito Sr. Francy, teve um filho, que chamou pelo nome de seu pai - Francisco Villela de Andrade Netto - Este, advogado e político, concorreu à prefeito de Barra Mansa, nas eleições de 1966, e perdeu para Marcello Drable. Em 10 de abril de 1968, 'no auge de sua carreira' foi atropelado na antiga Av. 24 de Outubro - que liga o Centro a Estamparia, no mesmo ano, a via foi denominada com seu nome.

     Sr. Francy ainda é parente de Gabriel Antônio Villela de Andrade, que foi vereador em Barra Mansa, na 30ª Legislatura (1929 - 1930);
     É parente de João Baptista Junqueira de Andrade, que foi vereador em Barra Mansa em 1936;
     É parente de Eduardo Junqueira, que também foi prefeito de Barra Mansa;
     Também é parente do vereador Cap. Octávio Villela Siqueira - sogro do vereador Clodoaldo Pimentel - pai do também vereador - Dr. Gleizer Siqueira Pimentel, que é pai de Eduardo Pimentel, atual presidente do Diretório Municipal do PTB.
Casa do Rotaryano do Ano Bom
     No município de Ayuruoca - MG, haviam muitos Villela de Andrade.

Homenagens:
     Foi dado o seu nome, ou o nome de seu pai a escola municipal do bairro São Francisco de Assis.
     Ainda leva o seu nome, a Casa do Rotaryano, ou o salão principal d'esta, no Ano Bom, creio que doou o terreno para a edificação da sede.

Fontes: Jornal Panorama de Juarez Modesto, década de 1980, coluna sobre a Fazenda Ano Bom, escrita por Dr. José Carlos Franco Faria, historiador barramansense.
          Rocha, Alan Carlos - Segunda Parte do Livro "Memória Comemorativa do Primeiro Centenário".

JOSÉ CARDOSO GUIMARÃES COTIA
1946 - 1947

     Era funcionário da prefeitura e foi designado em Outubro de 1934 pelo governador-interventor Ary Parreiras para assumir o expediente durante o afastamento do titular - Isimbardo Peixoto, prefeito-interventor.
     Mais tarde voltou a governar, desta vez como titular - de 14 de novembro de 1946 a 23 de março de 1947.
     Foi vereador na 32ª Legislatura da Câmara de Barra Mansa, (1947 - 1951).
     Penúltimo prefeito-interventor de Barra Mansa; durante a sua gestão - Eurico Gaspar Dutra era o presidente do Brasil; no Estado do Rio - Hugo Silva e depois Francisco Santos foram os interventores-federais.
     Sucedeu ao prefeito-interventor Oscar Bulcão Viana, e foi sucedido pelo prefeito-interventor Francisco Junqueira Villela de Andrade.

Trecho da  Rua José Cardoso Guimarães Cotia,
cortada pela ferrovia. Imagem: Google
Família:
     Os Guimarães Cotia são de Barra Mansa, Prefeito José Cardoso, é parente de Edgar Cardoso Guimarães Cotia (nome de rua no Ano Bom), e de Euclydes Alves Guimarães Cotia (proprietário de terras, que formaram os bairros Mirandópolis e Jardim Pollastri), a estrada que liga o centro de Quatis à Floriano leva o nome de Euclides.
     Capitão Domingos Alves Guimarães Cotia foi vereador distrital na 17ª Legislatura da nossa Câmara Municipal, (1892 - 1895), a primeira após à proclamação da república.

Homenagem:
     Há com seu nome, uma rua - cortada pela linha férrea -, no centro de Barra Mansa, entre a Avenida Pres.Vargas (beira-rio), e a Praça Ponce de Leon (da matriz).

OSCAR BULCÃO VIANA
1946
1944 - 1945
Jornal 'A Noite"
Novembro de 1944.
Posse do 1º Mandato, noticiado pelo Jornal
"A Manhã" de 21/10/1944
     Dr. Bulcão Viana foi prefeito-interventor de Barra Mansa por duas vezes.

     Antes, foi prefeito em Itaguaí - RJ e em novembro de 1940 foi exonerado por Amaral Peixoto, para ser nomeado prefeito de Rio Claro - RJ.

Primeiro Mandato:
     A primeira de 11 de outubro de 1944 a 21 de novembro de 1945 sucedeu ao prefeito-interventor Joaquim Ribeiro de Almeida Matos, e foi sucedido pelo prefeito-interventor Dr. Paulo Pires de Melo.
1946 - Posse do 2º mandato no Palácio Barão de Guapy.
Bulcão Viana ao centro, ao lado do Dr. Dario Aragão
     Foi nomeado pelo governador-interventor Ernani do Amaral Peixoto (genro de Getúlio Vargas), de quem era oficial de gabinete na Coordenação de Mobilização Econômica.
     A cerimônia de posse foi na capital do estado - Niterói -, no gabinete do secretário de Interior e Justiça, e estiveram presentes : "destacadas figuras do governo estadual, bem como elementos representativos da capital da Republica e do município de Barra Mansa" (Jornal Diário da Noite).
     Já em março de 1945 assinou contrato para o fornecimento de "serviços de telefones automáticos" em Barra Mansa.

Segundo Mandato:
1946 - Banquete no salão da Maçonaria.-
 Dario Aragão e Bulcão Viana.
     A sua nova gestão foi de 19 de fevereiro de 1946 a 11 de novembro de 1946 - sucedeu ao prefeito-interventor Marcil Rosa de Lima e foi sucedido pelo prefeito-interventor José Cardoso Guimarães Cotia.

Família:
     Filho do General Antonio Vicente Bulcão Vianna, e de Dona Maria Augusta Smidt de Bandeira Bulcão Vianna.
     Seu pai nasceu na Bahia, e residia em Santa Catarina, onde foi vereador em Florianópolis, deputado, presidente da Assembleia Legislativa, e governador interino.
Rua Pref. Bulcão Viana no Jardim Boa Vista
Imagem: Google - 2011


Homenagem:
     Nome de rua no bairro Jardim Boa Vista.






MARCIL ROSA DE LIMA
1946

     Prefeito-interventor de Barra Mansa por apenas nove dias, de 11 a 19 de Fevereiro de 1946. Biografia, e fotografias suas não são conhecidas.
     A sua posse, coincide com a de Lúcio Meira, como interventor-federal à governar o Estado do Rio de Janeiro.
     Sucedeu ao prefeito-interventor Paulo Pires de Melo, e foi sucedido pelo prefeito-interventor Oscar Bulcão Viana.

PAULO PIRES DE MELO
1945 - 1946

     Prefeito-interventor, governou Barra Mansa de 21/11/1945 a 11/02/1946.
     Foi nomeado pelo interventor-federal Abel de Magalhães no mesmo mês que este assumiu o governo do Estado do Rio de Janeiro; no dia seguinte da saída de Magalhães - o prefeito Paulo Pires de Melo também deixou de ser prefeito de Barra Mansa.
     Sucedeu ao prefeito-interventor Dr. Oscar Bulcão Viana e foi sucedido pelo prefeito-interventor Marcil Rosa de Lima.

JOAQUIM RIBEIRO DE ALMEIDA MATOS
1942 - 1944

     Prefeito-interventor, governou Barra Mansa de 06/11/1942 a 19/09/1944, na época em que era interventor-federal do estado, Ernani do Amaral Peixoto (genro de Getúlio Vargas).
     Sucedeu ao prefeito-interventor Capitão Mário Pinto dos Reis, e foi sucedido pelo prefeito-interventor Dr. Oscar Bulcão Viana.
     O seu sobrenome - "Ribeiro de Almeida", leva a imaginar, que fazia parte da parentela do ilustre Comendador Joaquim Leite Ribeiro de Almeida, do Barão de Ayuruoca entre outros. Porém não há documentação.

MÁRIO PINTO DOS REIS
1935 - 1942
Baile no Palácio Barão de Guapy pela posse de Mário Pinto dos Reis.
(que esta no centro, atrás das flores), na foto também está Dário Aragão.
Pintura, na Galeria dos Prefeitos do 
Palácio Barão de Guapy
     Capitão Mário Pinto dos Reis, de família tradicional em Barra Mansa, foi prefeito-interventor e prefeito-eleito do município.

     Antes foi vereador em Barra Mansa, na 29ª legislatura - (1927 - 1929), seu pai também foi vereador.

Governo:
     Foi primeiro Interventor de 01 de Janeiro de 1935 a 5 de Agosto de 1936; a partir desta data até 10 de novembro de 1937 governou como Prefeito-Eleito; e novamente como Interventor até 6 de novembro de 1942.
     Sucedeu ao prefeito-interventor Dr. Isimbardo Peixoto, e foi sucedido pelo prefeito-interventor Joaquim Ribeiro de Almeida Matos.

     Em 1934 quando assumiu o governo, vigia o interregno legislativo, não haviam vereadores desde 1930, com a subida ao poder de Getúlio Vargas. Em 1936 houve nova legislatura, porém já no ano seguinte, quando Vargas implantou o Estado Novo, dissolveu novamente as câmaras municipais.
1937 - Lançamento da Pedra Fundamental da
Sid. Barra Mansa, Pref. Mário Pinto dos Reis.
     Governava o Estado do Rio de Janeiro, o interventor Ary Parreiras.
     Em seu governo transferiu o Ginásio Municipal de Barra Mansa, para a Congregação do Verbo Divino em 1936. E segundo Alan Carlos Rocha¹, foi impulsionador do ensino e da cultura e doou terreno à mesma congregação, para a edificação do moderno colégio; a qual tive a honra de estudar desde a alfabetização, até concluir o primário. No Verbo também estudou meu tio Modestino.

     Segundo o Sr. Mário Pinto dos Reis Netto, o seu avô foi eleito, para o segundo mandato, e isso orgulha muito a família, pois comprovou a sua aprovação como interventor,

A Industrialização de Barra Mansa:
Década de 1940 - Pref. Mário e esposa, na
entrega de brinquedos, presentes de Natal.
Cine Éden.
     Durante a gestão do Pref. Mário, grandes empreendimentos industriais foram construídos: Nestlé - inaugurada em fevereiro de 1937 - meu avô e também a minha avó trabalharam nessa fábrica. Também em 1937 - A Siderúrgica Barra Mansa começou a ser construída, e a fábrica da Cia Metalúrgica Barbará por Baldomero Barbará - que comprou a fazenda onde instalou um alto-forno, e depois transferiu a fábrica inteira trazendo da cidade de Caeté - MG.² Meu avô após a Nestlé trabalhou e se aposentou na Cia Barbará.
     Em 09/04/1941 foi fundada a CSN, e Barra Mansa foi a escolhida para a recepção do grandioso empreendimento.

Também foi provedor da Santa Casa de Misericórdia de Barra Mansa de 1938 a 1950.

Família:
     Filho do Capitão Manoel Vicente dos Reis, que também foi vereador em Barra Mansa: Nas legislaturas: 18ª (1895-1898) , 19ª (1898-1901), 21ª (1904-1907) e 22ª (1907-1910). Na 18ª ele foi vereador distrital, na 19ª - vereador geral, na 21ª e na 22ª já não haviam esta distinção.

     Mário Pinto dos Reis casou-se com Dona Alice Tavares dos Reis. Os bairros Boa Sorte, Piteiras, São Judas Tadeu e Jardim Alice, estão ligados a esta família.
     Foram pais da professora Jandyra Reis.

03/10/1939 - 1 Interventor Federal Alfredo Neves;
2 Pref.Mário; 3 Dário Aragão; 6 Ataulpho P.Reis
     Ataulpho Pinto dos Reis, irmão de Mário, foi um dos políticos mais destacados de Barra Mansa, foi vereador na 32ª Legislatura: (1947 - 1951), foi o primeiro presidente da Câmara de 1947 a 1948, após o interregno de dez anos sem vereadores. Foi também deputado estadual, e lutou contra a emancipação do Distrito de
Volta Redonda. A sua família administra o Cartório Souza Reis, de Registro Civil, até aos dias de hoje.

     Sou amigo dos sobrinhos-netos de Mário: Carlos Eduardo e Beatriz.

Homenagens:
     Mário Pinto dos Reis é nome de rua: na entrada do bairro Verbo Divino; e no bairro Retiro.

Fontes Bibliográficas: ¹ Rocha, Alan Carlos - Segunda Parte do Livro "Memória Comemorativa do Primeiro Centenário".
                              ²  Livro dos 75 Anos da Saint Gobain - "Saint Gobain Canalização, O Caminho Seguro das Águas"
                                  Revista do Segundo Governo do Prefeito Luiz Amaral. - Sobre a Nestlé.
                                  Fotos: ABH

ISIMBARDO PEIXOTO
1931 - 1934
03/10/1932 - 1º Centenário de Emancipação de Barra Mansa. Pref. Isimbardo Peixoto de terno
branco, ao lado Maria Luiza Gonzaga. Em frente ao Palácio Barão de Guapy.
     Dr. Isimbardo Rodrigues Peixoto, nasceu em Campos dos Goytacazes - RJ.
     Homem muito culto, foi poeta, escritor de vários livros, jornalista, advogado e poliglota.
     Os seus poemas, falavam do amor às mulheres.
     Participou da fundação da Academia Campista de Letras em sua cidade natal.
     Fundou a primeira loja maçônica do Estado do Acre.


Governo:
     Foi prefeito-interventor de Barra Mansa, de 25/09/1931 a 31/12/1934, a maior parte do mandato coincidiu com o do interventor-federal Ary Parreiras a governar o Estado do Rio de Janeiro.
    Sucedeu ao prefeito-interventor José Antônio Alves Sobrinho, e foi sucedido pelo prefeito-interventor Mário Pinto dos Reis.
     Segundo seu neto Aloysio, foi o primeito prefeito maçon de Barra Mansa.

     Durante a gestão do Dr. Isimbardo, ocorreram as comemorações do primeiro centenário de criação do Município de Barra Mansa. E foi lançado o Livro "Memória Comemorativa do 1º Centenário", de autoria de Antônio Figueira de Almeida - décadas depois, esta obra foi relançada e expandida por Alan Carlos Rocha.
     Também para as comemorações, foi composto o belo Hino à Barra Mansa, cuja letra é do Professor Henrique Braune Zamith, e a música coube ao maestro Izídio Sacchi de Moura - que em razão do curto espaço de tempo para a sua criação, sugeriu procurar em seu acervo de partituras antigas, uma música para o Hino. Encontrou a música "Pelo Brasil", de autor desconhecido. O hino foi cantado no dia do primeiro centenário em 3 de outubro de 1932.
Jornal A Batalha - 26/Set/1931
     O Prefeito Isimbardo pelo ato nº 180 de 15 de maio de 1933, tornou o hino oficial nas escolas municipais de Barra Mansa.

     Característica marcante do Dr. Isimbardo, que pode ser constatada em sua fotografias, era o uso de ternos brancos, roupas claras e gravatas borboletas - hábito confirmado por Aloysio; décadas depois, outro prefeito também ficou marcado pelo uso de vestes alvas - Luiz Amaral

     Na cidade, está marcada a sua gestão, há um obelisco aos trabalhadores na Praça Ponce de Leon. No Parque Centenário -
que ganhou este nome em homenagem ao 1º Centenário de Barra Mansa -, há um obelisco com uma água no topo, coisa do seu governo.

03/10/1956 - Dr. Isimbardo e o Pref.
Leonísio inauguram a Rua Dr. Mário Ramos.
     Aloysio, ainda conta, que durante o governo do seu avô, houve uma infestação de formigas tanajuras em Barra Mansa, e o Prefeito Isimbardo, resolveu o mal, com a ajuda dos estudantes do município.

     Humberto Quinto Chiesse, foi delegado de polícia, durante a gestão do prefeito Isimbardo, e em entrevista a Juarez Modesto do Jornal 'Projeção', em agosto de 1979, afirmou: Que ele e Isimbardo tinham um bom relacionamento, e que "quando ele foi embora estava em dificuldade financeira que a política acabou com tudo que ele tinha". O velho Humberto ainda afirmou que a administração do Prefeito Peixoto, foi uma das melhores. 
03/10/1956 - Banquete - Dr. Isimbardo e Pref.
Leonísio Sócrates Baptista.
"Ele tinha boas ideias, tinha prestígio, e todo o dinheiro que ele tinha ele gastou aqui trazendo benefícios, melhoramentos, os operários gostavam muito dele, ele reformou aquele parque colocando aquela água, aqui na Praça Ponce de Leon tinha uma fonte..." E disse que Isimbardo merecia mais justiça. Juarez Modesto, em suas perguntas à Humberto, ainda afirmou: ..."eu escuto os antigos dizerem que foi das melhores administrações."

Após a Prefeitura:
     Foi Comissário de Menor, Juiz de Direito, e Desembargador no RJ.

     No governo do Prefeito Leonísio Sócrates, Dr. Isimbardo foi "hóspede oficial da prefeitura" nas comemorações do 124º Aniversário de Barra Mansa, e participou da inauguração da Rua Dr. Mário Ramos.

29/11/1925 -  Casamento de Isimbardo
Peixoto e Dona Maria Edelmira
Acervo - Sr. Aloysio Peixoto
     Era amigo pessoal de Juscelino Kubitschek, eles trocavam cartas.

     Se aposentou como desembargador. Viveu muitos anos, faleceu em Niterói, em 1988.


Família:
     Filho de Vladimiro Peixoto e de Gisela Peixoto.
     Neto paterno de Manuel Rodrigues Peixoto (nascido em Campos dos Goytacazes - 01/ago/1843), e de Dona Maria Isabel de Miranda Manhães (neta dos barões de Abadia).
     Manuel foi deputado de 1881 a 1884, e novamente em 1897, em 1904 a convite do presidente do estado - Nilo Peçanha -, foi o 1º prefeito de Campos, após isto foi deputado federal, faleceu em 29/09/1919.
     Dr. Isimbardo teve uma irmã - Marinela Peixoto.

Primeira-Dama Maria Edelmira Peixoto
Acervo - Aloysio Peixoto Junior
     Casou-se com Dona Maria Edelmira Vivacqua Peixoto (Mariquinha) - natural de Cachoeiro de Itapemirim - ES. Irmã da atriz Dora Vivacqua, conhecida por 'Luz Del Fuego', e do senador espírito-santense Attilio Vivacqua.
     Filhos: Aloysio Célio Isimbardo Vivacqua Rodrigues Peixoto, e Sandra Peixoto de Souza.
     Teve 13 netos e diversos bisnetos.
     Seus descendentes residem em Niterói e Campos.

Homenagens:
     Nome de rua no bairro Saudade em Barra Mansa.
     Foi homenageado pelo Tribunal de Justiça do RJ "por nunca em toda sua vida, como homem público ou em seus cargos junto ao judiciário, ter tido uma reclamação ou algo que tirasse seus méritos".
Rua Dr. Izimbardo Peixoto - Saudade
Google - Março de 2014.

Lembranças:
     Seu neto Aloysio, lembra, que o avô, com constância, falava sobre Barra Mansa, e a referia "como uma cidade de povo muito bom e localidade super agradável".
     De tanto que Isimbardo falava, Aloysio veio conhecer Barra Mansa.


Fonte: Família: http://institutohistoriar.blogspot.com.br/2010/08/manuel-rodrigues-peixoto.html
        Informações do seu neto - Aloysio Célio Isimbardo Vivacqua Rodrigues Peixoto Júnior.


JOSÉ ANTÔNIO ALVES SOBRINHO
1931

     Prefeito-interventor de Barra Mansa, governou o município por apenas nove dias: de 17 de setembro de 1931 a 25 de setembro de 1931; na época em que o interventor-federal Mena Barreto governava o Estado do Rio de Janeiro.
     Sucedeu ao Capitão Bertholino Joaquim Gonçalves, e foi sucedido pelo Dr. Isimbardo Peixoto.

Família:
     Casou-se com Maria Amélia da Silva Alves Sobrinho, e foram pais de Dona Aracy Alves, que casou-se com Albo Augusto Chiesse - filho de Giovanni Chiesse.
     Creio que era parente do Dr. João Alves Sobrinho, que também foi prefeito, em 1923.

BERTHOLINO JOAQUIM GONÇALVES
1930 - 1931
Fotografia de 1915.
     O Capitão Bertholino Joaquim Gonçalves, foi vereador em nossa cidade, por dois mandatos: na 26ª e 27ª Legislatura: (1919 - 1922), (1922 - 1923). nesta última foi também o presidente da Câmara.

Governo:
      De 11 de dezembro de 1930 a 17 de setembro de 1931 - foi prefeito-interventor de Barra Mansa, sucedeu ao prefeito-interventor Eduardo Junqueira, e foi sucedido pelo prefeito-interventor José Antônio Alves Sobrinho.

Negócios:
     Foi proprietário da Padaria São José - que depois foi herdada pelo seu filho Flávio -, na Avenida Joaquim Leite. Posteriormente no lugar deste comércio funcionou por vários anos a famosa papelaria - Casa Aurora, e na atualidade funciona o Ponto Frio.
Primeira-Dama Dona Etelvina
Esposa do Cap. Bertholino
Acervo - Gustavo Ramos

Família:
     Casado com Dona Etelvina Miranda Gonçalves.
     Seu filho Flávio de Miranda Gonçalves, também foi vereador - 31ª Legislatura (1936 - 1937), e prefeito (1947 - 1951).

     Sou amigo dos trinetos do Pref. Bertholino: Gustavo, Andréa Ramos de Souza e Marcella Barbosa. Estudei com Marcella e Andréa no Verbo Divino.
     Gustavo, médico veterinário é um conhecido agropecuarista da região, e Andréa farmacêutica promissora.

Homenagem:
     Antiga Rua Bertholino Gonçalves no Ano Bom, entre a cabeceira da Ponte Nilo Peçanha, e a Praça Castelo Branco.

EDUARDO JUNQUEIRA
1930
1927 - Inauguração da 1ª agência bancária de Barra Mansa - Banco Ribeiro Junqueira na Av. Joaquim Leite,  o imóvel já demolido depois funcionou o Hotel Careca, e hoje funciona um estacionamento, em frente às Lojas Americanas.
Entre as pessoas da foto: Major Eduardo Junqueira, Cel. Francisco Villela, Elias Geraidine.
     Major Eduardo de Sá Fortes Junqueira, foi prefeito-interventor de Barra Mansa, de 29 de Outubro a 11 de Dezembro de 1930. Sucedeu ao prefeito interino Adolfo Klotz, e foi sucedido pelo prefeito-interventor Bertholino Gonçalves.
     Foi o primeiro prefeito da Era Vargas.
     "Foi politico militante, chefe da Alliança Liberal, e fazia parte do Conselho Consultivo".

     Eduardo Junqueira, foi o primeiro gerente do Banco Ribeiro Junqueira, primeiro banco de Barra Mansa.
     Faleceu no Rio de Janeiro na década de 1930.

Família:
Início da Rua Eduardo Junqueira - Março de 2014.
     Filho do Ten. Cel. Manoel de Sá Fortes Junqueira (nascido em Cruzilia - MG), e de Dona Genoveva Clara Fortes Junqueira (nascida em Ayuruoca - MG).

Homenagem:
     Em 1931 o prefeito-interventor Isimbardo Peixoto, alterou o nome da Rua Marquês de Hervat, para Rua Eduardo Junqueira. Na atualidade este extenso logradouro, esta para ser transformado em uma larga avenida, que ligará o bairro Barbará ao bairro Saudade, com as aguardadas obras de Readequação Ferroviária.

Fonte: http://docplayer.com.br/12998211-O-assumptos-c-le-interessam-a-hjectividaee-j-q-5-a-d-a-i-t-i-a-b-r-n-c-a-710-i-3-o-de-novembro-de-jy-j3.html

ADOLPHO KLOTZ
1930 - 1931 (Interino)
Pintura da Galeria dos Prefeitos no Palácio Barão de Guapy
     Dr. Adolpho Klotz (Juiz de Fora - MG, 22 de Março de 1893 — 1971). 
     Filho de Luiz Klotz e Josepha Klotz. Era dentista de profissão.

Rua Adolpho Klotz - Santa Rosa
Google - Outubro de 2011.
     Em Barra Mansa, vereador e presidente da câmara municipal na 30ª Legislatura de 1929 a 1930. 
     Foi prefeito interino em 1930, sucedeu ao Eng. Gustavo Lyra e foi sucedido pelo prefeito-interventor Eduardo Junqueira.

     Dr. Adolpho foi também deputado constituinte em 1934.
     
Homenagem:
     Nome de rua no bairro Santa Rosa.

Fontes Bibliográficas: ¹ Rocha, Alan Carlos - Segunda Parte do Livro "Memória Comemorativa 1º Centenário"

GUSTAVO LYRA
1930
1916
Pintura da Galeria dos Prefeitos - Palácio Barão de Guapy
     O engenheiro Gustavo Lyra da Silva foi duas vezes prefeito de Barra Mansa, a primeira vez, foi nomeado, governou de 17 de abril a 5 de agosto de 1916 - sucedeu ao prefeito nomeado Dr. Emygdio José Ribeiro -, e foi sucedido pelo prefeito nomeado Dr. Aristides Sabóia de Alencar.

Rua Gustavo Lyra - Fev 2014 - Imagem: Google.
     Voltou como prefeito eleito, e tomou posse em 01/01/1930 - governou até 29 de outubro de 1930, sucedeu ao prefeito eleito Capitão Oscar Teixeira de Mendonça. Seu mandato terminaria em 1932, porém foi interrompido em consequência da Revolução de 1930 que levou Getúlio Vargas ao poder, foi destituído e sucedido pelo prefeito-interino Dr. Adolpho Klotz.
     Depois foi também prefeito de Nictheroy de 1932 a 1935.

Homenagem:
     Nome de rua em Volta Redonda.


OSCAR MENDONÇA
1927 - 1929
Baile em homenagem ao Pref. Oscar Teixeira de Mendonça.
Prefeito Oscar Teixeira
de Mendonça
     Capitão Oscar Teixeira de Mendonça nasceu por volta de 1885 no distrito barramansense de Ribeirão de São Joaquim, e faleceu em 04/mar/1949 no distrito barramansense de Quatis.
     Era agricultor.
     Foi o terceiro prefeito eleito de Barra Mansa, governou o município de 3 de Maio de 1927 a 31 de Dezembro de 1929, sucedeu ao prefeito eleito Wanderlino Teixeira Leite, e foi sucedido pelo prefeito eleito Gustavo Lyra da Silva.

     Foi o pioneiro na abertura de estradas de rodagem que interligam o distrito Sede de Barra Mansa, aos distritos de Quatis e Falcão.
Pintura da Galeria dos Prefeitos
- Palácio Barão de Guapy

     Também foi provedor da Santa Casa da Misericórdia de Barra Mansa de 1925 a 1930.

Família:
     Filho de Ten. Cel. Jeremias Teixeira de Mendonça e de Dona Gertrudes Amelia da Rocha Teixeira. Seu pai foi vereador por cinco mandatos em Barra Mansa, nas legislaturas - 15ª: (1883 - 1887), 17ª: (1892 - 1895), 20ª: (1901 - 1904), 23ª: (1910 - 1913) e 24ª: (1913 - 1916). Na 23ª Legislatura foi também o presidente da Câmara, o penúltimo, antes do município ter prefeito.
Revista 'Vida Doméstica'
Sobre a Posse do Prefeito Mendonça.
      Irmãos: Maria Amélia - casada com José Carlos Vieira Ferraz filho -, Anna Amelia, Marianno, Elmano e Aristeu. O Capitão Elmano Teixeira de Mendonça - também seguiu a política, e foi como o pai, vereador por cinco mandatos em Barra Mansa, nas legislaturas: 25ª: (1916 - 1919), 26ª: (1919 - 1922), 27ª: (1922 - 1923), 28ª: (1924 - 1927) e 30ª: (1929 - 1930).
     É primo de Wanderlino Teixeira Leite, que foi seu antecessor na prefeitura de Barra Mansa.

     Oscar casou-se no dia 20 de dezembro de 1917 em Ribeirão de São Joaquim com Maria Cândida Marcondes de Sampaio (Pequetita), filha do Cap. Antônio Jacintho Teixeira de Sampaio, e de Dona Rita de Cássia Marcondes de Sampaio, do distrito barramansense de Amparo. Maria Cândida Marcondes de Sampaio faleceu em 12/abr/1918 sem descendentes. É irmã de Victor Marcondes Sampaio, que foi vereador por três mandatos à Câmara de Barra Mansa.

Cel. Jeremias Teixeira de Mendonça
- Pai do Pref. Oscar Mendonça.
     Casou-se em segundas núpcias no distrito Sede de Barra Mansa, em 22/Mai/1920 com Zina de Oliveira Ferraz de 17 anos, filha de José Carlos Vieira Ferraz e Leosina Augusta de Oliveira Ferraz (sogros de sua irmã Maria Amélia). Zina, parente do Barão de Guapy, foi ungida primeira-dama de Barra Mansa, com apenas 24 anos.
     Seu segundo sogro, foi vereador no município na 12ª Legislatura (1873 - 1877).

     É parente do médico barramansense Dr. Elmano José Mendonça de Faria, clínico geral e gastroenterologista na Santa Casa de Misericórdia da cidade.

     Homenagem:
     Rua no Centro do distrito de Quatis.

Revista 'Vida Doméstica'
Sobre a Posse do Pref. Mendonça.
Revista 'Vida Doméstica'
Sobre a Posse do Pref. Mendonça.
Revista 'Vida Doméstica'
Sobre a Posse do Pref. Mendonça.
Revista 'Vida Doméstica'
Sobre a Posse do Pref. Mendonça
.




























Fontes: Câmara Municipal de Quatis; BARROS, Hyeróclio Virgílio de Carvalho - História e Histórias de Quatis

           http://www.projetocompartilhar.org/Familia/Icap10p2GabrielTeixeiraPinto.htm A sua Genealogia vem da pesquisa de Plínio Ursulino Marcondes de Carvalho.


WANDERLINO TEIXEIRA LEITE
1924 - 1927
1924 - Estação Ferroviária de Barra Mansa - Wanderlino Teixeira Leite e familiares, no dia de sua posse.
Da esq. p/ dir. O segundo é Homero Leite, Dona Áurea, (a mais baixa), com o filho José Marinho, ao lado de Wanderlino.
1916 - O jovem casal Dona Áurea Marinho e
Wanderlino Teixeira Leite -
Acervo: Dona Helena Fabiano Teixeira Leite
     Wanderlino Teixeira Leite (Freguesia de Quatis - Barra Mansa, 6 de agosto de 1893  Distrito de Quatis - Barra Mansa, 1º de março de 1977). Foi um político de renome nas terras de Barra Mansa, personalidade da família mais antiga e tradicional da história deste burgo, os Leite, com larga tradição na política, desde a época da emancipação de Barra Mansa.
     Formado em odontologia, herdou de seu pai a fazenda Santa Anna da Cachoeira.
     Possuiu um Engenho de Aguardente em Quatis.

Wanderlino, prefeito aos 30 anos
- Jornal A Evolução
     Foi vereador em Barra Mansa por dois mandatos na 26ª e na 27ª legislaturas: (1919 a 1922), (1922 - 1923);

Governo:
     Vitorioso no pleito de 18 de maio de 1924, foi o segundo prefeito eleito da história de Barra Mansa, tomou posse em 12 de junho de 1924 e governou até 3 de maio de 1927; sucedeu ao prefeito-interventor Dr. Antônio Avelino de Andrade.
     ¹No mesmo ano de sua posse, 2 de julho, criou em caráter provisório a Guarda Municipal, que somente passou a ser definitiva em 1947 na gestão do Pref. Flávio de Miranda Gonçalves.
     Em 25 de março de 1925 - segundo sua neta Helena -, levou luz elétrica para Quatis - este foi um episódio marcante da história barramansense, realizaram-se grandes festejos.
     Foi sucedido pelo prefeito eleito - Oscar Teixeira de Mendonça.
Pintura da Galeria dos Prefeitos
- Palácio Barão de Guapy

Após a prefeitura:
     Voltou a ser vereador em Barra Mansa, nas 30ª legislatura: (1929 - 1930), e novamente na 31ª - (1936 - 1937) -, nessa legislatura foi presidente da câmara.
     Voltou pela quinta vez à Câmara Municipal, na 34ª legislatura: (1955 - 1959) - a primeira após a fatídica emancipação de Volta Redonda -, n'este seu último mandato de vereador, com 62 anos, foi presidente da câmara pela segunda vez, no ano de 1955.
     Foi candidato em 1962, nas eleições gerais, à vereador pelo PTB, para a 36ª legislatura, teve 262 votos, não foi eleito, e ficou na 3ª suplência do seu partido.
     Viveu 83 anos.

Cargos que ocupou:  
Vereador Wanderlino
Teixeira Leite, na maturidade, a
discursar no Palácio Barão de
Guapy, antiga Câmara Municipal
Acervo - Helena Teixeira Leite.
     Prefeito, vereador por cinco legislaturas, presidente da câmara municipal por duas vezes, e vice-presidente por uma vez, todos em Barra Mansa, município da qual Quatis fazia parte.

Família:
     Wanderlino é filho de José Izidro Teixeira Leite e de Francisca Teixeira de Oliveira. Seu pais eram primos.
     Seu pai também foi vereador em Barra Mansa. Por três legislaturas consecutivas: 20ª: (1901 - 1904), 21ª: (1904 - 1907) e 22ª: (1907 - 1910).
     A bisavó de Wanderlino, Dona Maria Jacintha de Almeida Leite é irmã de Joaquim Leite. O Trisavô de Wanderlino - José Leite Ribeiro é irmão do Barão de Ayuruoca.
     Homero Leite, irmão de Wanderlino - por parte de pai -, foi deputado estadual, trouxe do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, as primeira mudas da Praça Matriz de Quatis.
     É primo de Oscar Teixeira de Mendonça, seu sucessor na prefeitura de Barra Mansa.
     Heitor Leite Franco - é seu primo em 4º grau. Heitor foi vereador em Barra Mansa na 32ª Legislatura (1947 - 1951), e na fatídica 33ª (1951-1955), n'esta última votou a favor da emancipação de Volta Redonda. Ele foi também presidente da Câmara barramansense em 1950.

Bodas de Ouro de Dr. Wanderlino e Dona Áurea.
Reunião familiar - Acervo - Helena Teixeira Leite
     Dr. Wanderlino casou-se em 10/jun/1914 com a sua prima em 2º grau - Áurea Marinho (natural de Brotas - SP, filha de João Alves Marinho e de Elvira Marinho), foram pais de: Arlette, José, Marina, Eunice, Zuleika, Homero, Áurea e Maria José.
     Eunice e Zuleika, infelizmente faleceram muito novas.
     Arlette Teixeira Leite - casou-se em 10 de dezembro de 1930 com Victor Marcondes Sampaio - vereador em Barra Mansa por 3 legislaturas: 32ª: (1947 - 1951), 33ª: (1951 - 1955), e 35ª: (1959 - 1963); presidente da Câmara em 1951; em 1954 votou contra a emancipação de Volta Redonda. Em 1962, pela UDN, disputou com o sogro Wanderlino, às eleições para à 36ª legislatura, e também ficou na suplência.
Wanderlino Teixeira Leite Netto e
Marcell Castro em evento do GREBAL
a 29/07/2016 no Ano Bom Palace Hotel
     José Marinho Teixeira Leite - casou-se com Marina Fabiano - pais do poeta e escritor Wanderlino Teixeira Leite Netto (site), residente em Niterói; e Dona Helena Fabiano Teixeira Leite, casada com o historiador Hyeróclio Virgílio de Carvalho Barros - que já foi candidato a prefeito de Barra Mansa nas eleições de 1982, e foi vencido por Luiz Amaral; e mais tarde em 1992 concorreu à alcaide da Quatis emancipada, e foi vencido por José Laerte d'Elias.

     Conheci ao poeta Wanderlino Teixeira Leite Neto em dezembro de 2015, em um evento no Grêmio Barramansense de Letras; e a Dona Helena, em sua famosa Livraria Prosa e Verso, no Centro de Quatis.

Homenagens:
Ponte Wanderlino Teixeira Leite - construída no
governo Féres Nader.
     Tem seu nome a ponte sobre o Rio Paraíba do Sul que liga Floriano a Quatis - (decreto do Pref. Feres Nader de 17/01/1977), construída por esse mesmo prefeito -, e uma rua no bairro São Benedito, Quatis.


Fontes: Relatos de Wanderlino Teixeira Leite Netto, e sua irmã Dona Helena Fabiano Teixeira Leite.
           Câmara Municipal de Quatis; BARROS, Hyeróclio Virgílio de Carvalho - História e Histórias de Quatis
        ¹SALEM, Nikson: 250 Anos do Surgimento do Povoado de São Sebastião da Barra Mansa , Gráfica e Editora Irmãos Drumond Ltda - 2014.
           http://www.projetocompartilhar.org/Familia/Icap10p5FranciscoTeixeiraPinto.htm
           Almanak Administrativo, Mercantil e Industrial do Rio de Janeiro - 1891 a 1940.


ANTÔNIO AVELINO DE ANDRADE
1923 - 1924

     Dr. Antônio Avelino de Andrade foi prefeito-interventor de Barra Mansa, e governou o município de 24 de setembro de 1923 a 12 de junho de 1924. Sucedeu ao prefeito-interventor João Alves Sobrinho, e foi sucedido pelo prefeito eleito Wanderlino Teixeira Leite.

JOÃO ALVES SOBRINHO
1923

     João Alves Sobrinho foi prefeito-interventor de Barra Mansa, por um mês e um dia, seu mandato foi de 23 de agosto a 24 de setembro de 1923. Sucedeu ao prefeito eleito, Cel. Alfredo Dias de Oliveira, e foi sucedido pelo prefeito-interventor Antônio Avelino de Andrade.
     Creio que também era parente do Dr. José Antônio Alves Sobrinho, que também foi prefeito-interventor de Barra Mansa, em 1931.

CORONEL ALFREDO DE OLIVEIRA
1922 - 1923
Pintura da Galeria dos Prefeitos no Palácio Barão de Guapy
Acervo - Helena Teixeira Leite
     Alfredo Dias de Oliveira (Freguesia de São José de Itaipava, Petrópolis - 7 de Novembro de 1864  — Distrito de Quatis - Barra Mansa, 15 de Outubro de 1926) foi o sétimo prefeito, e o primeiro eleito de Barra Mansa.
     "Residiu 22 annos na localidade de V. Redonda e 20 no distrito de Quatis". (Jornal A Gazetinha).
     Antes de ser prefeito foi subdelegado, delegado, e vereador em nosso município por quatro legislaturas: 21ª: (1904 - 1907), 23ª: (1910 - 1913), 24ª: (1913 - 1916) e 25ª: (1916 - 1919).
     Em 5 de Janeiro de 1911 foi eleito vice-presidente da Câmara.
     Em virtude da segunda Reforma Constitucional do Estado, (Lei nº 1670 de 15 de Novembro de 1920), ficou estabelecido que os prefeitos seriam eleitos, e os seus mandatos, assim como os dos vereadores seriam de 3 anos.
     À frente do poder executivo, governou de 2 de agosto de 1922 a 23 de agosto de 1923, "não chegou a concluir seu mandato, em consequência da intervenção decretada no Estado, pelo Governo Federal".
     Foi também provedor da Santa Casa de Misericórdia de Barra Mansa de 1920 a 1925.
     Sucedeu ao prefeito-nomeado Dr. Ascânio da Mesquita Pimentel, e foi sucedido pelo prefeito-interventor João Alves Sobrinho.
     Viveu 61 anos.

Família:
Jornal A Gazetinha de nº 376 de 22 de
Outubro de 1926 - Acervo - Grebal.
     Filho legítimo de Antonio Dias de Oliveira e de Dona Julia Carolina Magalhães de Oliveira.
     Casou-se com Dona Francisca Nogueira de Oliveira - nascida em Volta Redonda em 14 de Agosto de 1886, filha do Sr. Antonio Silva Nogueira e de Dona Anna Rosa Mattos Nogueira.
     Da união nasceram 12 filhos: Enedina - casou-se com o Sr. Tancredo Mello; Julia (Jujú) - casou-se com o Sr. Homero Leite (que foi deputado estadual, e irmão de Wanderlino Teixeira Leite); Maria da Glória (Nenê) - casou-se com Dr. Alphen de Oliveira Ferreira; Carmen - casou-se com o Sr. Raul Nobrega Soares; Zilda - casou-se com o Sr. Salvador Barbosa Lima; Raul - casou-se com Dona Euthalia de Oliveira; Alfredo - casou-se com Dona Djanyra Ramos; Estevam e Floriano - solteiros à época do passamento de seu pai. Cel Alfredo e Dona Francisca também geraram aos filhos: Antonio, Aurélia e Francisca - que infelizmente faleceram muito novinhos, antes de seu pai.
     Alguns de seus filhos e netos residiam em Taubaté - SP, a época de seu passamento.

Jornal Projeção - de Juarez Modesto.
Acervo - Grebal
     Seu genro Dr. Alphen de Oliveira Ferreira, residente em Quatis, foi vereador em nossa Câmara, nas legislaturas: 30ª (1929 - 1930), 32ª (1947 - 1951), 33ª (1951 - 1955), 34ª (1955 - 1959), 36ª (1963 - 1967), 37ª (1967 - 1971), 38ª (1971 - 1973); presidiu o legislativo em 1954 e sordidamente tomou medidas à favor do desmembramento do Distrito de Volta Redonda. Viveu por muitos anos, sendo registrado pelo Jornal Projeção, com 92 anos em 1984, e considerado o cirurgião-dentista mais idoso do Brasil.

     Cel. Alfredo é avô de Alfredo José de Oliveira - segundo prefeito de Quatis emancipada -, que governou por dois mandatos: (1997-2000), (2005-2008). E depois foi secretário de Planejamento de Resende, no governo José Rechuan.
Pref. Alfredo José de Oliveira
seu neto.

     É bisavô de Dona Maria José Oliveira Vincent McIntyre - casada com o Sr. Terry Vincent McIntyre. Sr. Terry foi presidente do Rotary Clube "Barra Mansa Alvorada" em 2011.
   

Homenagem:
     Rua Alfredo de Oliveira em Saudade, e no Centro de Quatis.






Fonte: Câmara Municipal de Quatis, e livros: Memória Comemorativa do Primeiro Centenário; Athayde, J. B. de. Barra Mansa e seus Administradores.
          Jornais: A Gazentinha, e Projeção.


ASCÂNIO DA MESQUITA PIMENTEL
1918 - 1922
Acervo - Nikson Salen da ABH
     Dr. Ascânio da Mesquita Pimentel (Niterói, RJ, 16 de Novembro de 1893 — ?), foi o sexto prefeito de Barra Mansa.
     Prefeito nomeado, governou o município de 24 de setembro de 1918 a 2 de agosto de 1922. Sucedeu ao prefeito nomeado Dr. Everardo Barreto de Andrade, e foi sucedido pelo prefeito eleito Coronel Alfredo Dias de Oliveira.
     Foi advogado, professor e escritor.
     Após ser prefeito de Barra Mansa, foi deputado estadual.
     Viveu após isto em Petrópolis - RJ.
Família:
     Casou-se com Dona Maria Tereza Magalhães Castro, e tiveram três filhos: Maria Lúcia, Maria Gilda e Francisco José.

Fontes: http://ofssagradopetropolis.blogspot.com.br/p/historia-da-fraternidade.html
           http://alerjln1.alerj.rj.gov.br/taqalerj2006.nsf/5d50d39bd976391b83256536006a2502/804328b44e51a92d83256dcd006a73c8?OpenDocument

EUGÊNIO CAMPAGNAC
1919 (Interino)
Foto extraída do Livro - "Câmara Municipal de Barra Mansa,
 Fragmentos da História", do Autor - Nikson Salem
     Major Eugênio Campagnac, foi vereador em nossa Câmara Municipal, por quatro legislaturas: 23ª: (1910 - 1913), 24ª: (1913 - 1916), 25ª: (1916 - 1919) e 26ª: (1919 - 1922), durante toda a sua última legislatura foi presidente da câmara, e no dia 6 de Julho de 1919 assumiu a prefeitura interinamente, durante a gestão do prefeito nomeado Dr. Ascânio da Mesquita Pimentel.
     A sua inclusão na relação de prefeitos, é devido ao historiador J. B. de Atahyde.

EVERARDO BARRETO DE ANDRADE
1917 - 1918

     Dr. Everardo Barreto de Andrade, quinto prefeito de Barra Mansa, prefeito nomeado, governou o município de 26 de maio de 1917 a 24 de setembro de 1918. Sucedeu ao prefeito nomeado Dr. Aristides Sabóia de Alencar e foi sucedido pelo prefeito nomeado Dr. Ascânio da Mesquita Pimentel.

ARISTIDES SABÓIA DE ALENCAR
1916 - 1917

     Dr. Aristides Sabóia de Alencar, quarto prefeito de Barra Mansa, prefeito nomeado, governou o município de 5 de agosto de 1916 a 26 de maio de 1917. Sucedeu ao prefeito nomeado Gustavo Lyra da Silva - que mais tarde voltou como prefeito eleito. Prefeito Aristides foi sucedido pelo prefeito nomeado Dr. Everardo Barreto de Andrade.

EMYGDIO JOSÉ RIBEIRO
1915 - 1916

     Dr. Emygdio José Ribeiro, foi o segundo prefeito de Barra Mansa. Governou o Município de janeiro de 1915 até o inicio de 1916.
     Carioca, formado pela renomada Escola Politécnica do Rio de Janeiro.

     Prefeito nomeado, chegou a cidade de trem noturno em 13 de Janeiro de 1915, no dia seguinte, dirigiu-se com a sua comitiva ao paço municipal, e encontrou o edifício trancado.

      "O vice-presidente da câmara, coronel Jeremias Teixeira de Mendonça, e o porteiro da prefeitura, Sr Teófilo Cruz, não compareceram ao local para dar posse ao novo mandatário do município. Por ordem do Tenente José Santos a porta foi arrombada. No interior do prédio, tudo estava trancado, inclusive o cofre com os valores do município. Um auto foi lavrado e o Dr. Emygdio entrou no prédio, ovacionado pela multidão e ao som da Sociedade Musical Santa Cecília. Uma vez no Salão Nobre saudaram sua Sua Excelência o talentoso acadêmico Sebastião Moura, o acadêmico José Martins Lourenço e o vereador Manoel Francisco Pinto do Amaral. Após agradecer, o dr. Emydio foi empossado no cargo. No edifício da prefeitura, não foram encontrados os livros, os 
arquivos e a chave do cofre, que, segundo comentários, foram levados pelo sr. Luiz Ponce." (Luiz Ponce de Leon era o presidente da Câmara) (Alan Carlos Rocha, em Curiosidades da História de Barra Mansa).

     Dr. Emydgio José Ribeiro sucedeu ao prefeito nomeado João Luiz Ferreira, e foi sucedido pelo prefeito nomeado Gustavo Lyra da Silva.

     Não sei se trata-se do mesmo Dr. Emygdio José Ribeiro, que foi vereador em Barra Mansa, muito tempo antes na 8ª legislatura de 1857 a 1861, ou se é parente do mesmo.

Após a Prefeitura de Barra Mansa:
Rua Emydgio Ribeiro - Jardim Boa Vita
Google - Março de 2014
     Também foi prefeito da vizinha Resende, de 19 de março a 10 de maio de 1916.

     Faleceu em 15 de dezembro de 1928, em Nictheroy, capital do Rio de Janeiro àquela época.

Homenagem:
     Rua Emigdio Ribeiro, pequeno logradouro no bairro Jardim Boa Vista. Não sei se a homenagem é ao prefeito Emygdio José Ribeiro, ou ao Vereador Emygdio José Ribeiro, ou se os dois são a mesma pessoa.

Fonte: Prefeitura de Resende-RJ.

JOÃO LUIZ FERREIRA
1914 - 1915
Acervo - Nikson Salen da ABH
     O Engenheiro João Luiz Ferreira, foi o primeiro prefeito de Barra Mansa, prefeito nomeado, a sua gestão foi de 14 de abril de 1914 a 11 de janeiro de 1915.
     Sucedeu à Luiz Ponce de Leon, na chefia do executivo barramansense.

     No Salão Nobre do Paço Municipal "saudaram o novo prefeito, o Dr. Luiz Ponce, o Dr. Orosimbo Ribeiro, o Cel. José Caetano Alves de Oliveira e o Dr. Luiz Henrique Braune. Em seguida, o Prefeito agradeceu, prometendo governar com isenção e novos dias para Barra Mansa. Encerrada a sessão, o Dr. Luiz Ponce convidou os presentes a acompanhar o Sr. Prefeito até a sua residência no Hotel Careca, onde foi oferecido aos presentes, cerveja e outras bebidas.
O fotógrafo Cury tirou as fotografias". (Alan Carlos Rocha, em Curiosidades da História de Barra Mansa). 

Segundo o historiador barramansense Nikson Salen,em seu Livro - "Câmara Municipal de Barra Mansa -
 Fragmentos da História", essa é a foto da posse do Prefeito João Luiz Ferreira.
     Segundo o vereador Ivan Marcelino de Campos, em seu livro que conta a história de Rialto, o Prefeito João Luiz, tomou posse naquele distrito.

Rua Prefeito João Luiz - Bocaininha
Google - Junho de 2015
     Antes de sua posse, o poder executivo municipal era da gestão do presidente da Câmara, que era eleito entre os próprios vereadores (como na atualidade), porém no princípio era o vereador mais votado.
     Foi sucedido pelo prefeito Emygdio José Ribeiro.

Homenagem:
     A rua Prefeito João Luiz, no bairro Bocaininha, da acesso ao Viaduto Antônio Martins Aguiar, que liga esse bairro, ao bairro Saudade.

Notas:
      O Hotel Careca funcionava em Barra Mansa, desde 1911, onde hoje é o Ed. Barra Mansa, na década de 1940, mudou-se para o casarão que foi o Banco Ribeiro Junqueira.

ANTES DO PRIMEIRO PREFEITO
1833 - 1914

     Segundo o historiador J. B. de Athayde, na 23ª Legislatura, a Câmara Municipal: 

     "Depois de muita discussão, decidiu abrir mão de sua autonomia administrativa para conseguir a realização, por conta do Estado, de diversas obras públicas no município, inclusive de saneamento, água e esgotos, na cidade; e neste sentido dirigiu representações ao Governo do Estado e à Assembléia Legislativa Fluminense, em 17 de outubro de 1912, pedindo nomeação de um prefeito para o município de Barra Mansa, de conformidade com o Art.31, nº 11,letra A, da Reforma Constitucional de 18 de setembro de 1903.
O Governo do Estado, atendendo às pretensões da Câmara Municipal, criou a Prefeitura, e logo em seguida nomeou o Engº João Luis Ferreira, para exercer o cargo de prefeito. Após sua posse, em 14 de abril de 1914, o presidente da Câmara perdeu a função executiva, que era de sua atribuição, passando a mesma, daí por diante, a ser exercida pelo prefeito, de nomeação do Presidente do Estado".

     O presidente da Câmara era Luiz Carneiro de Campos Ponce de Leon, governou a cidade de 1913 até a vinda do Prefeito João Luiz Ferreira.
     Antes de Luiz Ponce, foram presidentes da Câmara, chefes do poder executivo: 

Cel. Jeremias Teixeira de Mendonça (1910 - 1913);
Dr. José Pinto Ribeiro (1907 - 1910);
Cel. José Caetano Alves de Oliveira (1898 - 1907) - Por três mandatos;
Dr. Adolfo Pereira de Burgos Ponce de Leon (1892 - 1898) - Por dois mandatos, pai de Luiz Ponce;
"Em 1897 - a Câmara realizou a maior parte de suas sessões em Quatis, pois havia uma epidemia de febre amarela no Distrito Sede."
Dr. Pedro Rodovalho Marcondes dos Reis (1887 - 1889);
Comendador Joaquim Leite Ribeiro de Almeida (1883 - 1887) e antes por outros dois mandatos (1869 - 1877);
Major José Bento Ferreira Leite Guimarães (1881 - 1883);
Custódio Ferreira Leite Guimarães (1877 - 1881);
Dr. José Gomes Varella Lessa (1865 - 1869);
Comendador Joaquim José Ferraz de Oliveira - Barão de Guapy (1861 - 1865);
Comendador Lucas Antônio Monteiro de Barros (1857 - 1861);
Bernardo José Vieira Ferraz (1849 - 1857) - Por dois mandatos;
João José Cardoso (1849);
Tenente Manoel Carlos de Barros (1845 - 1849);
Padre José Britualdo de Melo (1841 - 1845);
Pedro José dos Reis Pereira e Castro (1837 - 1841);
Domiciano de Oliveira Arruda (1833 - 1837) - 1º Presidente da Câmara de Barra Mansa.

Esta não é uma obra definitiva sobre o tema, colabore com a história de Barra Mansa, envie um e-mail para marcellcastro@msn.com. Quem quiser usar as informações desta página favor escrever no rodapé - "MARCELL CASTRO - marcellcastro.blogspot.com"

Bibliografia:

Pessoas entrevistadas: 
Ex-prefeitos, familiares; radialistas: Uiara Araújo da Rádio Siga, Sebastião Alves da Rádio do Comércio, historiador Professor André Couto do UBM, Juarez de Magalhães - secretário municipal de habitação.

Livros, documentos e jornais:
Muitas fotográfias antigas são do acervo da Academia Barramansense de História.
Fontes Bibliográficas:
ALMEIDA, Antonio Figueira de, Memória Comemorativa do Primeiro Centenário, Câmara Municipal de Barra Mansa, Rio de Janeiro, 1932. (Reeditado por Alan Carlos Rocha em 5 edições na década de 1990).
ATHAYDE, J. B. de, Barra Mansa e seus Administradores. Gráfica Laemmert, Rio de Janeiro.
BARROS, Hyeróclio Virgílio de Carvalho - História e Histórias de Quatis.
COSTA, Alkindar Cândido da, Volta Redonda Onte e Hoje.
SALEM, Nikson: 250 Anos do Surgimento do Povoado de São Sebastião da Barra Mansa , Gráfica e Editora Irmãos Drumond Ltda - 2014.
CAMPOS, Ivan Marcelino de, O Distrito de Rialto, Gráfica e Editora Madiero's, Volta Redonda - 1994.
Livro - Patronos das Escolas Municipais de Barra Mansa.
Jornais Memória Barramansense de Academia Barramansense de História
Revistas Informativas de várias gestões da Prefeitura de Barra Mansa.
Jornais: Diário do Vale, A Voz da Cidade, Aqui.
Livro dos 75 Anos da Saint Gobain - "Saint Gobain Canalização, O Caminho Seguro das Águas"


Atualizações:
01/04/2017 - Vários Prefeitos - Atualização das datas dos mandatos.
22/01/2017 - Rodrigo Drable - Inserção da foto da posse e informações do governo; Jonas MarinsOscar Teixeira de Mendonça e  Oscar Bulcão Vianna - inserção de fotos; Mário Pinto dos Reis e Alfredo Dias de Oliveira foram provedores da Santa Casa de Misericórdia de Barra Mansa.
13/11/2016 - Luiz Amaral e Feres Nader - Pequenas correções.
12/11/2016 - Jonas Marins - Corredor Cultural, e Academia na Praça Ruy Andrade; Feres Nader - Atualizações da entrevista de 11/11/2016; João Chiesse Filho - Foto com a família; Elmiro Coutinho - Nome da esposa; Luiz Amaral - Eleições de 1970; Isimbardo Peixoto - Foto de seu casamento em 1925; Rodrigo Drable - Foto de seu casamento.
03/11/2016 - Jonas Marins - Algumas obras realizadas e foto oficial; Ismael de Souza - Funerária Municipal; Roosevelt Brasil - Foto oficial.
23/10/2016 - Jonas Marins - Ampliação do artigo, Wanderlino Teixeira Leite - Foto do Poeta Wanderlino Teixeira Leite Netto.
22/10/2016 - Rodrigo Drable - Finalização do artigo, Marcello Drable - ampliação. Ismael de Souza - Foto com Marcell Castro.
21/10/2016 - Rodrigo Drable - Novo artigo do novo Prefeito Eleito de Barra Mansa, José Renato e Roosevelt Brasil - Parentesco com Rodrigo.
05/08/2016 - Eugênio Campagnac e João Luiz Ferreira - Fotos, extraídas do Livro - "Câmara Municipal de Barra Mansa - Fragmentos da História" de Nikson Salen.
27/07/2016 - Jonas Marins e Jorge Costa - Retorno de Marins, por liminar do STF.
09/06/2016 - Mário Pinto dos Reis - Foi eleito para o segundo mandato.
07/06/2016 - Francisco Junqueira Villela de Andrade - Correção no nome de uma fonte "Jornal Projeção, de Juarez Modesto"
02/06/2016 - Jorge Costa - Atualização, e publicação de fotos.
01/06/2016 - Jonas Marins - Afastamento
                         Jorge Costa - Novo Prefeito
09/04/2016 - João Luiz Ferreira, Ascânio da Mesquita Pimentel - Fotografias;
                         Luiz Amaral - Passamento e fotografias.
                         Isimbardo Peixoto - Substituição da foto da inauguração da Rua Dr. Mário Ramos.
                         Jonas Marins - Informações de sua família.
03/03/2016 - Francisco Junqueira Villela de Andrade - Família e Cooperativa Agro-Pecuária de Barra Mansa.
01/03/2016 - Isimbardo Peixoto - Sobre o Hino à Barra Mansa, entrevista de Humberto Quinto Chiesse, e obeliscos.
                         João Chiesse Filho - Inserção de mais fotos.
                         Ismael de Souza - Inserção de foto quando era prefeito.
29/02/2016 - Alfredo Dias de Oliveira - Informações, e inserção de foto do Jornal A Gazetinha de 1926.
                         João Chiesse Filho - Reestruturação do artigo.
28/02/2016 - Bertholino Joaquim Gonçalves - Inserção da foto de sua esposa, e correção do nome dela (Etelvina Miranda Gonçalves).
                         Feres Nader -  Correção - Ele disputou sim às eleições a prefeito de 1982, e perdeu para Luiz Amaral.
                         Wanderlino Teixeira Leite - E seu genro Victor, nas eleições de 1962.
26/02/2016 - Inês Pandeló - Correção - Atualidade - Estudos.
                         Wanderlino Teixeira Leite - Eleições de 1924.
                         Mário Pinto dos Reis - Seu pai - O Capitão Manoel Vicente dos Reis.
                         Francisco Junqueira Villela - Foto e informações
                         Flávio de Miranda Gonçalves - Desapropriação da sede da Fazenda Ano Bom.
23/02/2016 - Moacyr Chiesse - Informações
22/02/2016 - Roosevelt Brasil - Texto e inserção de foto com Neto, Zé Renato e Deley; Substituição de fotos de vários prefeitos, e inserção de novas. Dirceu Chiesse Coutinho: sobre homenagem; Emygdio José Ribeiro - Informações.
                          Substituição de todas as imagens de "Pinturas dos ex-Prefeitos, da Galeria do Palácio Barão de Guapy", por imagens de maior resolução.
21/02/2016 - Eleições de 1966, 1972, 1976, 1982. Informações sobre Roosevelt Brasil - eleições de 1998, e correção na quantidade de votos em 2000, inserção de foto com Dudu e Zé Renato e de logotipo do 2º mandato; Elmiro Coutinho nas eleições de 1998; Luiz Amaral - contra quem disputou em 1982 e em 1992 e inserção de mais fotos; Zé Renato - quantidade de votos dos adversários em 2008, inserção de foto do início da construção do Viaduto Luiz Cláudio Alves de Monlevad no bairro Barbará; Feres Nader - eleições de 1982; Inês Pandeló - vice nas eleições de 2000 e quantidades de votos dos adversários em 1996, e assessoria parlamentar antes de ser vereadora em 1993, minha relação com Dr. Ismael e inserção da foto dele recente; Marcello Drable nas eleições de 1966, 1972 e 1976, inserção de duas fotos: Inauguração de escola na Vila Coringa, e de praça em Falcão, minha relação com a sua família - idem: Dirceu Chiesse Coutinho, e Mário Pinto dos Reis. Alfredo Dias de Oliveira - Foto.
20/02/2016 - Jingles: Inês Pandeló, Roosevelt Brasil, Zé Renato.
19/02/2016 - Wanderlino Teixeira Leite - Foto na velhice, e bodas de ouro, seu primo Heitor Leite Franco e outras  informações;
                         Luiz Amaral - Com quem concorreu em 1982;
                         Leonísio Sócrates Baptista - Pequeno trecho - Após deixar a prefeitura;
                         Dr. Ismael de Souza - Sobre a Ponte Quatis - Floriano.
17/02/2016 - Wanderlino Teixeira Leite - Foto com a esposa, e informações da família;
                      Oscar Teixeira de Mendonça - Informações sobre a família;
                      Luiz Amaral - Eleições de 1982;
                      Inês Pandeló - Foto dela na juventude.


Antes disso, foram feitas diversas edições, com grande frequência, desde que este artigo começou a ser escrito, porém estas não foram registradas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário